31
Jul 14

«Pré-colombiano/pré-colombino»

Tomem lá mais este

 

 

    Outro exemplo de falhas nos dicionários. Tomemos, como sempre, como campo das nossas pesquisas e propostas o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora. Se regista «colombino», «colombiano» e «pré-colombiano», também tem, evidentemente, de passar a registar «pré-colombino». Pessoalmente, prefiro este adjectivo a «pré-colombiano», que me traz de imediato à mente o nome do país, Colômbia, e não o de Colombo (que, só hoje soube, foi professor de Latim).

 

[Texto 4892]

Helder Guégués às 16:02 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:
31
Jul 14

«Under the terms of the treaty»

Problema nosso

 

 

      Apesar de no Dicionário de Inglês-Português da Porto Editora para a expressão under the terms of the treaty (e outras semelhantes; acabei de ler outra: under the resulting treaty) proporem a tradução «segundo os termos do tratado», os nossos tradutores não prescindem do «abrigo».

 

[Texto 4891]

Helder Guégués às 14:24 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:
30
Jul 14

«Esperança de vida/expectativa de vida»

Devia

 

 

     Alberto Magno morreu com 80 anos (ca. 1200-1280); Roger Bacon morreu com 80 anos (ca. 1214-1294). Mas não é sobre isso que vou escrever. A nossa expressão é esperança de vida, mas não devia ser expectativa de vida? Claro, as línguas são o que são. Em inglês é life expectancy, mas em castelhano também é esperanza de vida, e em francês espérance de vie. Já em italiano, tanto se usa speranza di vita como aspettativa di vita.

 

[Texto 4890]

Helder Guégués às 20:51 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:

Tradução: «responsive governance»

Há pior e melhor

 

 

  «Responsive governance». Bem, «governação receptiva» não diz praticamente nada. Receptiva a quê ou a quem? Evidentemente, podia ser pior: «governança responsiva», por exemplo. E se traduzirmos por «governação participativa»?

 

[Texto 4889]

Helder Guégués às 14:35 | comentar | favorito
Etiquetas:
30
Jul 14

Citar a Bíblia

Um pouco diferente

 

 

      Outro erro frequente nas traduções do inglês diz respeito à forma como se cita a Bíblia (e esqueçamos agora que há várias versões da Bíblia). Por exemplo, se no original está «Writing to the Ephesians (6:5–9), Paul, etc.», não podemos simplesmente copiar: «Na Epístola aos Efésios (6:5–9), São Paulo, etc.». Não é assim, porque nós não usamos os dois pontos neste caso. Deve escrever-se 6, 5-9, ou seja, é naquele livro da Bíblia, capítulo 6, do versículo 5 ao versículo 9. Se quiséssemos indicar que se devia ler o mesmo capítulo, mas apenas o versículo 5 e o versículo 9, então escrevíamos 6, 5.9. Quando se citam dois textos diferentes, usa-se o ponto e vírgula; os dois pontos, nunca.

 

[Texto 4888]

Helder Guégués às 14:33 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:
29
Jul 14

Tradução: «front axle»

Estamos nas carroças

 

 

      Eu nem sabia que havia «eixos frontais»... Hum, não será tradução demasiado literal de front axles? Eu digo e ouço dizer eixo dianteiro.

 

[Texto 4887]

Helder Guégués às 19:25 | comentar | favorito
Etiquetas:

Tradução: «(plow)share»

Terra lavrada

 

 

      Os dicionários... Mesmo que encontrem em algum bilingue o termo share relativo ao arado, qual será a palavra portuguesa correspondente? Share ou plowshare é «the part of a plow that digs into the soil». Não, não é a aiveca; esta em inglês é mouldboard. A aiveca, que serve para afastar a terra e alargar o sulco, também sustenta a relha (coulter), que é o ferro do arado ou da charrua que abre os sulcos na terra, e à frente desta está a sega, que fende a terra e corta as raízes. E, pelo que vejo, em língua inglesa não se distingue arado de charrua. Quanto à grade, que serve para esterroar e aplanar a terra lavrada, em inglês é harrow.

 

[Texto 4886]

Helder Guégués às 18:20 | comentar | favorito
Etiquetas:

«Competition/competitiveness»

É a economia, estúpido

 

 

    Relativamente recente é estoutra balda de alguns tradutores: no original está competition (por exemplo, «creative competition», referindo-se a pessoas ou países), e eles, seguríssimos pela verdura, vertem para «competitividade». Ora, competitiveness também a língua inglesa tem.

 

[Texto 4885]

Helder Guégués às 16:55 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas:

Corrigir o autor

Melhor do que o original

 

 

      O tradutor tem de corrigir o autor, se for necessário. Um exemplo (real, como o são todos: nunca preciso de inventar): o original, inglês, falava dos patrícios romanos e usava a palavra dinarii. Ora, a palavra correcta é denarii (plural de denarius), o nosso denário. O tradutor verteu para «dinares». Ora, o dinar (isso mesmo: o étimo é o mesmo) é a unidade monetária de países como a Argélia, Iraque, Jordânia, Líbia e uns quantos mais. É do domínio da cultura geral, e por isso a pressa não pode explicar, pelo menos inteiramente, estes erros.

 

[Texto 4884]

Helder Guégués às 13:41 | comentar | favorito
Etiquetas:
29
Jul 14

São Jerónimo, é contigo

Profundamente desmoralizador

 

 

      No original está rest, e traduzem por «basear-se»; no original está base, e traduzem por «basear-se»; no original está ground, e traduzem por «basear-se»; no original está rely, e traduzem por «basear-se»; no original está found, e traduzem por «basear-se»; no original está... Chega!

 

[Texto 4883]

Helder Guégués às 12:28 | comentar | favorito
Etiquetas: