30
Abr 16

Montéquios e Capuletos

Ainda há quem saiba

 

      Romeu e Julieta. «É uma guerra entre duas famílias de luto. Frente a frente, Montéquios e Capuletos» («“Romeu e Julieta” de novo em cena combina teatro e dança», Diogo Louçã Rodrigues, Telejornal/RTP1, 29.04.2016). Pois claro, Montéquios e Capuletos. Mas, com gramáticas que dizem o contrário e as desajudas de quem devia saber mais, será difícil.

      «A este amor, que os acontecimentos — comandados por uma guerra de famílias: Albuquerques e Botelhos, um pouco à semelhança de Horácios e Coriácios e de Montéquios e Capuletos —, depressa conduziram para o caminho de uma irremediável paixão» (O Pé Esquerdo, João Miguel Fernandes Jorge. Lisboa: Relógio D’Água, 1998, p. 121).

 

[Texto 6779]

Helder Guégués às 22:04 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
30
Abr 16

Tradução: «jarret de bœuf»

Muitas perguntas

 

      A mulher levava, escondido, um jarret de bœuf. Como se traduz, como não se traduz, ficou «jarrete de vaca». Será mesmo? Sempre ouvi dizer pernil ou chambão de vaca. E até — de que não há rasto nos dicionários — nispo. Serão todos sinónimos? Precisava agora dos conhecimentos de um talhante. E raidir le jarret não é «esticar o pernil»? No entanto, à displasia coxofemoral dos cães dá-se o nome de... jarrete de vaca.

 

[Texto 6778]

Helder Guégués às 19:21 | comentar | ver comentários (4) | favorito
Etiquetas: ,
29
Abr 16

Plural de «aerossol»

Se se usam ambos

 

      Acabam de me perguntar a minha opinião sobre o plural de aerossol. Parece-me consensual, entre lexicógrafos e gramáticos, que o plural é aerossóis, regra que também vale para girassol, urinol, espanhol, caracol, etc., ou seja, para todos os vocábulos cujo singular é em -ol. Contudo, não poucos falantes apenas aceitam e usam o plural aerossoles, o que se poderia enquadrar entre as excepções. A meu ver, podemos aceitar ambos os plurais, e nem compreendo como José Neves Henriques, no Ciberdúvidas («Aerossol», 1.04.1997, aqui), escreveu que «atribuir dois plurais não tem jeito nenhum e só complica». Repare-se que não afirmou que algum deles era inadmissível, e fez bem. No entanto, o singular seria outro: aerossole. Assim, teríamos quer aerossol/aerossóis, quer aerossole/aerossoles.

 

[Texto 6777]

Helder Guégués às 15:06 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
29
Abr 16

Que colmo é este?

Só na Madeira?

 

      Na emissão de ontem do Portugal em Directo, da Antena 1, falaram nas casas de Santana, na ilha da Madeira, com os seus típicos telhados de... combo?! Assim disse a jornalista Isabel Cunha. Aliás, creio que o entrevistado, António Trindade, director do Parque Temático da Madeira, disse o mesmo. Será variante regional? Não me parece. O nosso enviado especial à Madeira há-de saber.

 

[Texto 6776]

Helder Guégués às 09:37 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
28
Abr 16

«Porta pantográfica»

Para serralheiros

 

      A fechadura da porta pantográfica de acesso ao terraço avariou-se. «Sr. Manuel, preciso que venha substituir a fechadura da porta pantográfica.» «Desculpe?...» Ah, pois, porta pantográfica. Um serralheiro devia saber, acho eu. Sabem o que é um pantógrafo? Ora, é da semelhança que vem o nome. Muitos elevadores antigos é destas portas que têm.

 

[Texto 6775]

Helder Guégués às 12:14 | comentar | favorito
Etiquetas: ,
28
Abr 16

«Síndrome do encarceramento»

Só com os olhos

 

      «Os avanços poderão também ser importantes na medicina, defendem os cientistas: “Um descodificador de linguagem pode ter um valor incalculável para indivíduos com problemas de comunicação como na esclerose lateral amiotrófica e na síndrome do encarceramento [em que os doentes só conseguem piscar os olhos]”» («Zonas do cérebro associadas às palavras e aos seus significados», Nicolau Ferreira, Público, 28.04.2016, p. 25).

      Não queria que a locução estivesse nos dicionários, mas esperava que pelo menos «encarceramento» estivesse em todos, o que não acontece: não está no Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa, que, no entanto, regista «desencarceramento». Ninguém viu... Na síndrome do encarceramento (locked-in syndrome, para a legião de anglófonos que nos segue) verifica-se, de facto, tetraplegia, anartria, com preservação de consciência, e a referida movimentação ocular. É também designada síndrome do homem fechado em si mesmo, síndrome do homem fechado dentro e pseudocoma*. Logo, se se registasse esta última, pseudocoma, na definição poderia ser usada a locução «síndrome do encarceramento».

 

[Texto 6774]

 

      * Veja-se aqui um caso real. O livro de Martin Pistorius tem tradução portuguesa, publicada em 2015 pela editora Nascente.

Helder Guégués às 10:38 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
27
Abr 16

«Interrogar/questionar»

Mas podemos questionar

 

    «Abdeslam», lê-se nesta notícia da TSF, «está acusado de vários crimes e deve ser questionado de forma mais extensa no dia 20 de maio» («Abdeslam “tem a inteligência de um cinzeiro vazio”, diz ex-advogado»). O jornalista da Lusa queria dizer «interrogado», mas, como julga que é o mesmo, saiu-lhe «questionado». Mas atenção: quem tem a inteligência de um cinzeiro vazio é Abdeslam.

 

[Texto 6773]

Helder Guégués às 22:36 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Sobre «assassino»

Temos recurso

 

      «O “caso Simba”, o cão morto há um ano na aldeia de Monsanto que deu azo a um mediático processo judicial, acabar [sic] de terminar, com a condenação do homem que o matou a 1920 euros de multa. O dono do cão chamou-lhe “assassino” e, por isso, terá de pagar 3.500 euros. A Carla Tomás entrevistou-o» («Chacina em Cabo Verde, verdades e mentiras. Mataram-lhe o cão e tem de pagar €3.500. Exportações em 2:59. E música de violino», José Cardoso, Expresso Diário, n.º 556, 27.04.2016).

    Caso curioso. Para a maioria dos dicionários, assassinar é matar alguém; para o Dicionário Aulete, porém, a segunda acepção é «destruir a vida de (animal) com crueldade». O Dicionário Houaiss diz o mesmo. Vamos agora ver se o advogado do dono do leão-da-rodésia, Dr. Rogério da Costa Pereira, vai usar este argumento no recurso, pois balear um animal parece-me crueldade suficiente.

 

[Texto 6772]

Helder Guégués às 22:00 | comentar | favorito
Etiquetas: ,
27
Abr 16

Léxico: «difusor»

E logo de competição

 

      «Com o motor 1.6 Tce de 205 cv há potência que chegue. Não faltam elementos tecnológicos (destaque para o tablet tátil e multimédia de 8,7”) e desportivos, como as grelhas em favo de abelha, jantes de 18”, duas saídas de escape cromadas e difusor de competição. Mas o que brilha mais é a tecnologia de 4Control (torna as quatro rodas direcionais)» («Megane GT, controlo total», João Tomé, Destak, 27.04.2016, p. 17).

      É claro que, embora diga respeito a uma peça de alguns automóveis, não se trata da acepção 3 que encontramos no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora.

 

[Texto 6771]

Helder Guégués às 20:48 | comentar | favorito
26
Abr 16

Léxico: «graxo»

Crasso, e não é erro

 

      «Além daquele doce de ovos, estão no mercado natas, pastéis de feijão, queijadas de laranja e queques de chocolate sem açúcar, sem glúten, lactose, conservantes e gorduras trans (que contêm ácidos graxos insaturados e são associadas a vários problemas de saúde» («“Ovos-moles” só para quem é intolerante», Zulay Costa, Jornal de Notícias, 26.04.2016, p. 28).

     Não se diz com mais frequência ácidos gordos? A palavra, sinónimo de «gordo», é pouco usada. E talvez mal dicionarizada. No Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, lê-se que é o mesmo que «gordurento», «oleoso». Pior só o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa, que não o regista. Crasso e graxo são palavras divergentes, provêm ambas do mesmo vocábulo latino.

 

[Texto 6770]

Helder Guégués às 20:45 | comentar | ver comentários (4) | favorito
Etiquetas: ,
26
Abr 16

«Salvamento de grande ângulo»

Temos novidade

 

      «A operação, que esteve a cargo da equipa de salvamento de grande ângulo dos Sapadores de Gaia, apoiada pelos Bombeiros Voluntários de Avintes, não durou mais de dez minutos» («Retirado do fundo do poço do anexo onde dormia», M. N., Jornal de Notícias, 26.04.2016, p. 24).

      Salvamento de grande ângulo. É escusado jurar que nunca tinha lido ou ouvido tal designação. Logo, há-de ser coisa nova e provavelmente copiada do inglês high-angle rescue.

 

[Texto 6769]  

 

 

images.jpg

 

Helder Guégués às 20:05 | comentar | favorito
Etiquetas: ,