06
Mar 17

Brincar com os nomes

Sem disfarce

 

    Ah, então João Pereira Coutinho também (o «também» é para Montexto, leitor de J. P. C.) brinca com os nomes das outras pessoas: «Eurico Brilhante Dias, nome obviamente irónico, declarou à Renascença que a Comissão de Finanças Públicas ‘cria pânico e desconfiança na execução orçamental’ (tradução: não faz propaganda e desmascara a ‘narrativa’ económica do Governo). Consequentemente, o nosso brilhante Eurico convida a instituição da dra. Teodora a fazer uma ‘reflexão profunda’ (tradução: cala o bico), até porque o Parlamento pode rever o modelo do organismo independente (tradução: adeus, independência)» («Sem disfarces», Correio da Manhã, 5.03.2017). Não é que esta vergôntea do senhor do couto de Leomil escreva mal, mas não aprecio, acho-o ligeiramente irritante e já temos outros cronistas de direita no mesmo registo.

 

[Texto 7536]

Helder Guégués às 22:21 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas:

Arquivo digital da RTP

Um bom começo

 

    «O novo arquivo da RTP tem já acessível ao público 6500 conteúdos produzidos desde 1936 em www.arquivos.rtp.pt, tendo a administração da empresa estabelecido a meta de atingir entre 70 e 80 mil conteúdos até ao final de 2018» («PM defende que o seu Governo é inovador na visão para a RTP», TSF, 6.03.2017, 19h24).

    Para já, diga-se, é um bom acervo — mas a hiperligação é esta: https://arquivos.rtp.pt. Vou começar por ver tudo o que há (os «conteúdos»...) sobre o Prof. Agostinho da Silva.

 

[Texto 7535]

Helder Guégués às 21:41 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas:

Léxico: «ureu»

A inépcia explicada

 

      Como é que a palavra ureu, que designa o adorno em forma de serpente que fazia parte das coroas de divindades e dos faraós do Antigo Egipto, não está em lado nenhum? Em dicionários e vocabulários, quero eu dizer, porque em livros encontramo-la. Ausência que explicará, em parte, que na tradução do inglês que tenho à minha frente apareça duas vezes uraeus. (Já nada explica, contudo, as dez vezes que o tradutor escreveu «contato».) Devia estar nos dicionários, não é nada de faraónico.

 

[Texto 7534]

Helder Guégués às 20:19 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

«Fêmea», pronúncia

A mão direita

 

      «A tartaruga marinha fémea, que ganhou a alcunha de “Banco”, estava a morrer de uma infeção causada pela rotura da sua carapaça ventral, causada pelos cinco quilos de peso das moedas» («Equipa médica retira 915 moedas do estômago de tartaruga», Lusa/TSF, 6.03.2017, 15h53).

      É precisamente a pronúncia que vou ouvindo cada vez mais, mas na escrita é uma estreia. Mas que abéculas! E são jornalistas... A pronúncia é com e tónico fechado, que na grafia, neste caso, é representado por acento circunflexo. Já sei que há pelo menos um «gramático» brasileiro que defende que é tudo igual. A única vingança que nos ocorre é não lhe mencionar o nome. (Decepar-lhe a mão direita, como estão aqui a sugerir-me, podia não ser a melhor opção. E se for esquerdino? E a língua?)

 

[Texto 7533]

Helder Guégués às 18:30 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

O peso das palavras

Etc.

 

      TSF: «Paulo Bento abandona Olympiacos». Rádio Renascença: «Olympiacos despede Paulo Bento». Público: «Paulo Bento de saída do Olympiacos». Antena 1: «Olympiacos anuncia saída de Paulo Bento». Expresso: «Olympiacos rescinde com Paulo Bento». Diário de Notícias: «Oficial: Paulo Bento deixa o Olympiacos».

 

[Texto 7532]

Helder Guégués às 17:19 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:
06
Mar 17

Ortografia: «contra-safra»

A hora do neerlandês

 

    «O ministro explicou que a produção de azeitona se caracteriza tradicionalmente por anos de safra e contra safra (após um ano de elevada produção segue-se invariavelmente uma menor colheita), sendo esta a realidade com a qual os operadores e os agricultores estão habituados a lidar» («Ministro avisa: Azeite pode ficar mais caro após quebra da azeitona», Rádio Renascença, 6.03.2017, 9h44).

      Lá continuam eles com estes elementos pendurados no ar: é «contra-safra». Safra, contra-safra e entressafra, como já aqui tínhamos visto. Pela Infopédia, o leitor fica a saber que entressafra é o «periode tussen twee oogsten». Ou seja, está mais do que na hora de todo o português decente aprender neerlandês. Tot ziens!

 

[Texto 7531]

Helder Guégués às 09:59 | comentar | ver comentários (2) | favorito