12
Abr 17

Léxico: «porta-copos»

É impressão

 

      Vendo bem, não será melhor um automóvel pequeno? Muito pequeno. Fui experimentar um Smart Fortwo. A Avenida Lusíada viu o que é um carro veloz. Para quem está habituado a carros muito grandes, podia ser um choque, mas não foi nada disso. O espaço não sobra, mas para o que é mais necessário, para o nosso corpo, é amplíssimo. Smart: Swatch, Mercedes e art. Na Rua Esquerda, no Paço do Lumiar, enfiei-o até onde foi possível. Não avançou mais porque a actual geração do Smart tem mais 10 cm de largura. Da ladainha do vendedor, só retive que os puxadores interiores das portas são nervurados e — o que interessa para um dicionário — que a consola central tem um porta-copos duplo. Quando usou a palavra pack, fiquei logo de pé atrás. Austero e contrariado, escolhi o de conforto.

 

[Texto 7707]

Helder Guégués às 23:01 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

«Neurodegenerativo»/«endocraniano»

Eu não percebo

 

    «“Estas doenças neurodegenerativas irão ser cada vez mais prevalentes, não porque não existissem antes mas porque não vivíamos o suficiente para lá chegarmos. O Parkinson é uma doença que se manifesta, normalmente, a partir dos 50 anos, com uma idade média de 60. À medida que vamos vivendo mais, as doenças neurodegenerativas vão tendo um peso cada vez maior”, explica o dirigente da Bial. […] “O voluntário que faleceu padecia – e isso já é público – de uma doença oculta vascular endocraniana que, segundo os investigadores, pode explicar o que lhe aconteceu e porque teve um desfecho diferente dos outros. Mas essa investigação não está concluída e não temos ainda acesso nem ao relatório da autópsia nem aos dados clínicos. Esperemos que em breve se possa clarificar o que provavelmente terá sido uma situação que até pode nem ter tido a ver com o medicamento em si”, afirma» («Os doentes de Parkinson “no seu melhor”», Rádio Renascença, 11.04.2017, 14h01).

   Pode ter alguma lógica, mas eu não a descortino: neurodegenerativo está no Dicionário de Termos Médicos da Porto Editora, ao passo que endocraniano está no Dicionário da Língua Portuguesa.

 

[Texto 7706] 

Helder Guégués às 22:08 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:

Léxico: «camarão-pistola»

Energia sónica

 

      «O camarão recebeu o nome científico ‘Synalpheus pinkfloydi’ porque, “tal como todas as boas bandas de ‘rock’, este género de camarões tem a capacidade de gerar quantidades substanciais de energia sónica”, explicou em comunicado a Universidade de Oxford, no Reino Unido, que anuncia a descoberta da nova espécie.

     O ‘Synalpheus pinkfloydi’ pertence ao género dos “camarões-pistola”, denominados assim porque quando fecham uma das suas pinças criam uma bolha de alta pressão que ao difundir-se provoca um dos sons mais altos do oceano, capaz de atordoar ou mesmo matar um peixe pequeno, segundo a Universidade» («Pink Floyd vão dar nome a uma nova espécie de camarões», Rádio Renascença, 12.04.2017, 00h57).

      O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora tem várias espécies, mas não o camarão-pistola.

 

[Texto 7705]

Helder Guégués às 13:52 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «ponteira»

Há mais ponteiras

 

      «Para ela[,] estar sem a televisão ligada seria como ter um carro de tuning sem ponteira de escape à vista» (Agora: Uma História de Amores Próprios, Pedro Boucherie Mendes. Alfragide: Oficina do Livro, 2012, p. 185). Nos veículos automóveis e nos motociclos, é a peça metálica que remata o sistema de escape. O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, porém, só conhece por este nome a peça metálica que reveste a extremidade das bengalas, guarda-chuvas, bainha das armas brancas, canas de pesca, etc., a peça de metal que reforça a extremidade da bainha das armas brancas, o m. q. conteira, a extremidade postiça (?) da boquilha e os trastos dos instrumentos de corda.

 

[Texto 7704]

Helder Guégués às 00:38 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
12
Abr 17

«Silencioso/silenciador»

Toc, toc

 

      Quando chegar a minha Piaggio MP3 500 LT, a primeira coisa que faço é substituir a ponteira original por uma Akrapovič. Falemos de silenciadores. O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora diz que silenciador é o «dispositivo que se adapta ao cano de descarga de um veículo, a fim de reduzir o ruído da explosão de combustível». «Cano de descarga»? Parece que estão a falar de esgotos. Por acaso até prefiro, sempre usei, o sinónimo silencioso, «dispositivo adaptado ao tubo de escape dos motores de combustão interna para atenuar o ruído». Isto até pode ser também do transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), de que certamente sofro (de novo: se não quer nenhuma doença, não consulte um especialista), mas em sinónimos não convém que a definição seja exactamente a mesma?

 

[Texto 7703]

Helder Guégués às 00:12 | comentar | ver comentários (1) | favorito