11
Mai 17

Léxico: «dendrito»

Não o procurem aí

 

      «A investigadora Maria Helena Braga desenvolveu uma bateria sólida mais segura do que as “tradicionais”, evitando curto-circuitos e explosões, capaz de armazenar mais energia, “não poluente” e produzida com materiais ecológicos. Esta inovação surge “da necessidade de se fazerem baterias seguras, sem electrólito (substância que se dissolve para originar uma solução que conduz electricidade) inflamável, que é, actualmente, utilizado nas baterias de ião lítio”, disse à agência Lusa a investigadora do Departamento de Engenharia Física da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP). Estas baterias agora desenvolvidas, para além dos eléctrodos sólidos, encontrados também nas baterias de ião de lítio, têm um electrólito em vidro, que impede a formação de dendritos (curto-circuitos internos). De acordo com a investigadora, de 45 anos, nas baterias de ião de lítio, os dendritos “crescem como lanças”, atravessando o separador que divide os dois eléctrodos sólidos e fazendo um curto-circuito que vai aquecer a bateria levando, eventualmente, à sua explosão» («Portuguesa cria bateria revolucionária», Rádio Renascença, 11.05.2017, 8h49).

    Não procurem estes dendritos nos dicionários, pois não os vão encontrar. O dentrito é uma estrutura filamentosa, uma minúscula fibra de lítio, que pode causar curto-circuitos, cujo nome, imagino, deriva da sua semelhança com alguma das acepções de dendrito, talvez o prolongamento ramificado do neurónio, também chamado celulípeto.

 

[Texto 7820]

Helder Guégués às 15:50 | comentar | ver comentários (3) | favorito

Léxico: «diferencial autoblocante»

Este é melhor

 

      «Mas o Peugeot 106 presente neste vídeo, [sic] adiciona um turbo ao motor 1.6, resultando em 500 cavalos e numa máquina cuspidora de fogo. O eixo dianteiro simplesmente não consegue lidar com tantos cavalos. Não há autoblocante que aguente» («Besta indomável. Um Peugeot 106 com 500 cavalos e apenas tração à frente», Fernando Gomes, Razão Automóvel, 10.05.2017, p. 2).

      Melhor: diferencial autoblocante (non-slip differential, para a legião de anglófonos que nos segue), que o pobre leitor não vai encontrar nos nossos dicionários, o que leva ainda a mais erros. Trata-se de um componente mecânico que distribui a potência que vem da caixa de velocidades pelos dois veios de transmissão, um ligado a cada roda. O autoblocante diminui a possibilidade de uma das rodas patinar (porque o diferencial, se uma roda patinar, dá-lhe mais potência), contrariando, assim, o funcionamento normal do diferencial sem autoblocante. Diferencial já o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora regista: «MECÂNICA num automóvel, dispositivo que transmite às rodas o movimento do motor e lhes imprime, nas curvas, velocidade de rotação diferente». Agora só falta o melhor diferencial, o autoblocante.

 

[Texto 7819]

Helder Guégués às 11:56 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
11
Mai 17

Léxico: «velocidade comercial»

Muito cuidado

 

      «Até 2019, a empresa prevê a adoção de 12 “medidas prioritárias”, algumas das quais já em curso, como a criação de novos tarifários mais atrativos e equitativos; a renovação da frota; a contratação de 200 novos motoristas; a implementação de uma rede de bairros com 21 novas linhas; a expansão da rede de elétricos; ou o aumento da velocidade comercial» («Câmara prevê investimento de 80M€ na Carris até 2019», Destak, 11.05.2017, p. 2).

      De quando em quando, fazem-se referências à velocidade comercial, que é, na perspectiva do utilizador do serviço de transporte público, um dos indicadores que mais interessam. Imagino, contudo, que o leitor comum não sabe do que se trata. E não vai, com certeza, perguntar a um motorista da Carris, não apenas porque este também não sabe, mas sobretudo porque pode estar ali um militar da GNR à civil que o deixe inconsciente, por supor, mal, que há coacção sobre o funcionário. Velocidade comercial: velocidade média, em cujo cálculo se incluem os tempos nas paragens e terminais para tomada e largada de passageiros, assim como o arranque e desaceleração próximo das paragens e sempre que o tráfego imponha restrições.

 

[Texto 7818]

Helder Guégués às 09:47 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,