13
Mai 17

Tradução: «Berner Oberland»

Agora em português

 

      Isso mesmo: como traduzir Berner Oberland? Já vi que, para alguns tradutores, deixar assim é suficiente para o leitor compreender. Não concordo, é claro. Também não quero usar o adjectivo «bernês/bernense». Não poderá ser «planato de Berna»?

 

[Texto 7829]

Helder Guégués às 20:02 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Visões e aparições

Qual a novidade?

 

      Houve por aí alguma agitação quando, esta semana, o P.e Anselmo Borges falou de Fátima e disse, aos microfones da TSF, que na Cova da Iria não houve aparições, mas visões. Que grande novidade, realmente! Em terra de cegos... Só os jornalistas é que são apanhados de surpresa com estas afirmações. Leiam, se fazem favor, o comentário teológico de Joseph Ratzinger a propósito dos acontecimentos na Cova da Iria. Os três pastorinhos não são os videntes de Fátima? Então, os videntes têm visões. (Agora estudem bem o que são, para a teologia, visões.) Ainda assim, ontem, na RTP, António Marujo, jornalista de assuntos religiosos, não deixou de realçar, com alguma surpresa, que Francisco tivesse usado também a palavra «visões».

 

[Texto 7828]

Helder Guégués às 17:08 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «cibersegurança»

Sempre à frente

 

      «“Vi que esse domínio não estava registado e pensei, “Acho que vou ficar com isso”, disse o especialista ao jornal digital “Daily Beast”. Por cerca de 10 dólares – o preço habitual de um qualquer domínio – os dois ciberseguranças conseguiram evitar que o vírus encriptasse mais computadores, uma vez que o ataque de sexta-feira mostrou uma capacidade alta de se propagar globalmente» («Como acabar com o ataque informático que deixou todo o mundo em alarme? Comprando um domínio por 10 dólares», Rui Barros, Rádio Renascença, 13.05.2017, 14h20).

      Pois é, a realidade vai sempre mais à frente: os dicionários registam o termo cibersegurança como o estado de protecção contra ciberataques, mas os falantes sentem necessidade de dar nome a quem faz da cibersegurança a sua actividade. É isto a evolução da língua, e não, por exemplo, deixar de escrever «bem-vindo», assim, com hífen, como se lê no cartaz no Marquês de Pombal, iniciativa de leigos católicos. Vá lá, puseram a vírgula: «Bem Vindo, Papa Francisco!»

 

[Texto 7827] 

Helder Guégués às 16:48 | comentar | ver comentários (1) | favorito

Léxico: «mariolatria»

Desconhece

 

      «Para muita gente o fenómeno de Fátima parece mostrar que os católicos tratam Maria como se fosse superior a Jesus. Chama-se a isto Mariolatria e é uma velha acusação dos protestantes mais empedernidos. Alguns devotos insistem em dar-lhe força, infelizmente» («Papa foi a Fátima e não à sua caricatura», Filipe d’Avillez, Rádio Renascença, 13.05.2017, 15h14).

      Não precisa de maiúscula: mariolatria. É, como a define a Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, a «adoração exagerada da Virgem Maria». Não há mariolatria sem mariólatras, palavras que o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora desconhece.

 

[Texto 7826]

Helder Guégués às 16:31 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «cerimoniário»

Cerimoniere...

 

      Um jornalista da RTP que estava a cobrir a visita do Papa Francisco na Base Aérea de Monte Real, ao referir as pessoas que iam no avião da TAP a caminho de Roma, falou no cerimoniário. É actualmente, ao que me parece, Mons. Guido Marini o cerimoniário pontifício, o encarregado de preparar as celebrações e os próprios ministros do culto. Na Infopédia, só o vamos encontrar no Dicionário de Português-Italiano. Pontas soltas.

 

[Texto 7825]

Helder Guégués às 16:24 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Os Graças em Fátima

Aleluia!

 

      «Junto às grades, a família de Conceição e Rafael Graça esperava expectante por Francisco, o pai nitidamente convencido de que iria conseguir passar Luisinha, de meses, para o colo do Papa. […] Mais membros da família, crescidos e pequeninos, acompanhavam os Graças junto à grade. Um grupo de peregrinas mais velhas ajudavam a manter a ordem» («“Piccolo bambini”, disse o segurança, e o Papa abençoou a bebé Luisinha», Matilde Torres Pereira, Rádio Renascença, 13.05.2017, 13h20).

      Não devia ser notícia, mas é: eis uma jornalista que sabe português. Parabéns, Matilde Torres Pereira, é isso mesmo. No fundo, basta não ser linguista nem parvo para acertar nisto.

 

[Texto 7824]

Helder Guégués às 15:53 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
13
Mai 17

Léxico: «vaticanismo»

Perguntas e perplexidades

 

      «A caminho de Portugal, a bordo do avião papal, Francisco foi, como habitualmente, cumprimentar os jornalistas que o acompanhavam, entre os quais a vaticanista Aura Miguel, jornalista da Renascença» («Papa graceja com Aura Miguel. “Escreveu um livro antes da viagem, agora vai escrever para aí dez”», Cristina Nascimento, Rádio Renascença, 13.05.2017, 11h54).

      Há minutos, uma repórter da RTP falava de «Fátima Campos Ferreira, jornalista da RTP, vaticanista», que acompanhou o Papa Francisco na Viagem de e para Roma. Vaticanista... Se calhar também é teóloga e fatimista, mas ninguém sabe. E, a propósito, quando vai o vocábulo fatimista, usado há décadas, para os dicionários? Mas voltando a vaticanista: porque é que esta palavra tem duas acepções e vaticanismo só tem uma?

 

[Texto 7823]

Helder Guégués às 15:47 | comentar | favorito
Etiquetas: ,