14
Mai 17

Léxico: «pertencimento»

Outra alijada

 

      Os filósofos precisam destas palavras, que querem? Aliás, é o tradutor, mas vai dar ao mesmo. Pertencimento e pertencência. Alguns dicionários ainda registam — ainda que anotem que é termo antigo — a primeira, mas da segunda não há rasto nos dicionários. Em obras, sim; João Guimarães Rosa usou-a, mas ele forjou muitas outras, não conta. Pronto, senhores lexicógrafos, acolham de novo «pertencimento», ou isto pode piorar muito.

 

[Texto 7833]

Helder Guégués às 21:26 | comentar | ver comentários (6) | favorito
Etiquetas: ,

Tradução: «quinquennat»

Não inventem

 

      No Jornal da Tarde, na RTP1, a propósito da tomada de posse de Emmanuel Macron, falaram do «quinquenato» (2012-2017) de François Hollande. Pois é, só que em português diz-se quinquénio; quinquennat é francês.

 

[Texto 7832]

Helder Guégués às 14:07 | comentar | ver comentários (2) | favorito

Ortografia: «bem-haja ≠ bem haja»

Vamos lá desconfundir

 

      «Bem-haja, Papa Francisco!» Assim termina Frei Bento Domingues a sua crónica de hoje no jornal Público («Fátima: que futuro?», p. 39). Termina, e termina mal. Frei Bento Domingues, veja: «Bem haja, Papa Francisco!» Mas: «O nosso bem-haja, Papa Francisco!» Bem haja é uma forma de agradecimento equivalente a «muito obrigado»; bem-haja usa-se como substantivo. Os dicionários, temos de o reconhecer, não ajudam nada na distinção. O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, por exemplo, no verbete obrigado, que define como a «exclamação que exprime agradecimento» (será? Então porque é que de grato não diz o mesmo?), devia acrescentar todos os sinónimos, entre os quais este bem haja. E, em bem-haja, talvez bastasse esta nota: «bem-haja ≠ bem haja».

 

[Texto 7831]

Helder Guégués às 11:27 | comentar | ver comentários (1) | favorito
14
Mai 17

Léxico: «vaquita-marinha»

Já extinta no papel

 

      «Um Presidente, um actor e uma espécie ameaçada: o Presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, escreveu uma série de tweets em resposta a Leonardo DiCaprio para assegurar ao actor americano que o seu Governo vai levar a cabo um plano para proteger uma espécie ameaçada de mamífero aquático, a vaquita-marinha, que está prestes a extinguir-se. A espécie Phocoena sinus, um tipo de cetáceo menor do que um golfinho, está a diminuir drasticamente na sequência da pesca com rede no golfo da Califórnia. Restam apenas 30 vaquitas-marinhas em todo o mundo. O Governo mexicano já proibiu temporariamente a sua captura, mas continua a haver pesca ilegal» («Tweet para DiCaprio: México vai proteger espécie ameaçada», Público, 14.05.2017, p. 26).

      No Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, por exemplo, já a extinguiram antes do tempo. Para nos custar menos quando se extinguir na realidade...

 

[Texto 7830]

Helder Guégués às 11:05 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,