17
Jul 17

Léxico: «presidencialização»

Está na hora, não?

 

      Anda muita gente a falar do risco da presidencialização do sistema de governo. Alheio a tudo isto está o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, que não regista o vocábulo presidencialização.

 

[Texto 8038]

Helder Guégués às 20:13 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,

Uma palavra enganadora...

Tirocinante inepto

 

      Ontem, sugeriram-me — e o meu interlocutor ainda só bebera três imperiais — que devia inaugurar no blogue uma rubrica intitulada «WTF» (?!), reservada para grandes asneiradas. A primeira asneirada seria dar-lhe esse título, mas a ideia é boa, se bem que não seja nova por aqui. Bem, seja como for, se já tivesse essa rubrica, hoje seria ocupada com uma pergunta que, na sala de espera de um consultório, uma pessoa que lia O Padrinho, de Mario Puzo, fazia a outra pessoa que a acompanhava: «Tirocínio, tirocínio... É uma prova de tiro, não é?» Não assisti ao desfecho, porque era a minha vez.

 

[Texto 8037]

Helder Guégués às 19:23 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas:

Léxico: «palmiê»

Francês, e não do melhor

 

      «Na Baía de Cascais já não se avista só ao longe um barco a arder. Agora, está cheia a pão e bolos frescos. É assim a nova pastelaria francesa da vila — a Paul — que abriu este sábado, 15 de julho, mais um espaço em Portugal com uma elegante vitrine carregada de boas sugestões. Croissants, parmiers, pain au chocolat ou tartelettes. Tudo bons motivos para passar por lá à primeira oportunidade» («Paul: a pastelaria francesa à conquista de Cascais», Adriano Guerreiro, NiT, 17.07.2017, 13h34).

      Devem pensar, por qualquer motivo que teimosamente me escapa, que o itálico não foi feito para a Internet. Bolaria francesa, apenas — mas todos podem ter nome português ou aportuguesado. (O quê, o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora não regista bolaria?!) Será que o infame palmier também resiste ao aportuguesamento? Sim, porque o escriba atrapalhou-se, era isto que queria escrever. Mas até Saramago já usou o aportuguesamento «palmiê». Andam distraídos.

 

[Texto 8036]

Helder Guégués às 19:03 | comentar | ver comentários (1) | favorito

Léxico: «canganho»

Não esquecer

 

      «Há quem lhe chame engaço, mas é também conhecido por canganho. Trata-se de um subproduto que resulta de cada vindima e que os investigadores da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro estão a estudar com vista ao seu aproveitamento para as indústrias cosmética, farmacêutica e alimentar» («“Oportunidade de negócio para o Douro”. Creme anti-rugas feito a partir do engaço de uva?», Rádio Renascença, 17.07.2017, 12h16).

 

[Texto 8034]

Helder Guégués às 17:57 | comentar | ver comentários (1) | favorito

Léxico: «crenco»

Esquecem meia bicicleta

 

      Ontem fui ao aniversário do Quico, na Margem Sul. Ah, vocês não conhecem... Mas quico: o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora ainda não registou um aportuguesamento como este que é usado há muito (falámos aqui dele). Devem preferir que se escreva e diga kick ou kick-starter. Outro aportuguesamento usado todos os dias e que aquele dicionário também não regista: crenco. Estão a ver do que se trata? É cada uma das peças que se vai encaixar no pedaleiro e a que se fixam os pedais, nas bicicletas. Adivinharam: vem do inglês crank. E, contudo, regista cranque, do mesmo étimo, «eixo mecânico em forma de cotovelo».

 

[Texto 8033]

Helder Guégués às 12:35 | comentar | ver comentários (5) | favorito
Etiquetas: ,

E o sujeito é...?

Isto é pior

 

      «Com 17,8% do buzz [sic] social do ano, correspondente a 378 mil menções, o setor automóvel foi aquele que mais vezes foi referenciado ao longo de 2016. […] Para isso, a empresa baseou-se nas mais de 2 milhões de menções às marcas que compõem o seu painel fixo monitorizado (denominado Barómetro de Marcas)» («Automóveis dominam as redes sociais», Destak, 17.07.2017, p. 4).

    Eles sabem lá o que é ou qual é o sujeito! E isto propinado aos milhares, deve deixar alguma mossa nos já escassíssimos conhecimentos linguísticos da população.

 

[Texto 8032]

Helder Guégués às 12:03 | comentar | favorito
Etiquetas: ,
17
Jul 17

Como se escreve nos jornais

Essa é boa

 

      «A produção de banana na Região Autónoma da Madeira deverá atingir este ano as 22 toneladas, sendo que 85% se destina [sic] à exportação para o mercado nacional» (Destak, 17.07.2017, p. 5).

      Exportação para o mercado nacional... Bem, parece que temos de alargar o sentido de «exportar», não? Isso, ou contratar um bom revisor.

 

[Texto 8031]

Helder Guégués às 09:28 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,