13
Set 17

«Tratar-se de», novamente

Lamentável

 

      O Ministério Público acusou o cantor Tony Carreira de plagiar onze músicas de autores estrangeiros, com a colaboração do compositor Ricardo Landum. Querida mãezinha! Mas vejamos como se escreve no Ministério Público, porque isso interessa-nos mais: «“Os arguidos publicaram e divulgaram trabalhos mesmo sabendo que se tratavam de meras reproduções, ainda que parciais, de obras alheias, sem individualidade própria, tendo representado a possibilidade de estarem a plagiar obras de outros artistas, e ainda assim conformaram-se com tal resultado”, sublinha o MP» («Ministério Público acusa Tony Carreira de plagiar 11 músicas», Rádio Renascença, 12.09.2017, 14h12).

      Pois, não melhoraram nadinha. No Limoeiro não lhes ensinam isto. Senhor magistrado autor do texto, está errado: tratar-se é um verbo defectivo e impessoal, pelo que se usa sempre na 3.ª pessoa do singular. Do Ministério Público, já aqui tivemos uma amostra do mesmo jaez.

 

[Texto 8150]

Helder Guégués às 15:09 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas: ,

Ainda o latim

Do lado contrário

 

      «Como se sabe, há pessoas que nascem como [sic] os órgãos todos do lado contrário (situs inversus) e outras ainda com tudo desarrumado, como, por exemplo, o coração do lado certo, mas o fígado do lado errado (heterotaxia)» («Como é que o coração vai parar ao lado esquerdo?», Público, 13.09.2017, p. 28).

      Afinal, o latinzinho ainda faz falta. Situs incertus, situs inversus, situs perversus... É a forma reduzida da expressão situs inversus viscerum.

 

[Texto 8149]

Helder Guégués às 15:02 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Topónimos

É escolher

 

      «Emmanuel Macron andou pelas ruas de St. Martin e garantiu que a ilha “vai renascer”» («Furacão “​Irma”. Presidente francês foi ver o que resta de St. Martin», Rádio Renascença, 13.09.2017, 1h16). «O Presidente francês, Emmanuel Macron, prometeu reconstruir rapidamente as ilhas de São Martinho e São Bartolomeu, nas Caraíbas, destruídas pelo furacão Irma» («Macron promete reconstruir ilha de São Martinho», Público, 13.09.2017, p. 25).

 

[Texto 8148]

Helder Guégués às 11:39 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,

Como se escreve e pensa por aí

Equívocos e parvoíces

 

      «Na apresentação do iPhone 8, também com câmara melhorada, ficámos a saber que um protótipo andou por terras lusas. Uma das fotos exibidas tinha uma modelo de costas com vestido laranja, virada para a ponte 25 de abril (em grande plano) com o Cristo Rei ao fundo» («O novo iPhone é a cara do dono», António Pinto Rodrigues, TSF, 12.09.2017, 21h34). «A Apple aperfeiçoou as suas câmaras para tirar melhores fotos e usou Lisboa para o mostrar. A tecnológica de Cupertino veio a Lisboa tirar fotos à Ponte 25 de Abril e ainda teve tempo para uma brincadeira: “This is not San Francisco” (isto não é São Francisco, em português), disse-se em palco, enquanto se mostrava uma foto de Lisboa» («Há novos iPhones. Dois oitos e um X marcam a novidade (e Lisboa serve para mostrar a câmara)», Rádio Renascença, 12.09.2017, 17h52).

 

[Texto 8147]

Helder Guégués às 11:22 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

«Na dianteira»

Vai com calma

 

      «Este tipo de relógios está longe de se ter massificado. O mercado dos relógios inteligentes é muito pequeno quando comparado com o dos telemóveis, mas é um sector que está em crescimento e onde a Apple tem uma dianteira confortável» («O novo iPhone X tem mais ecrã, menos botões e reconhece o dono», João Pedro Pereira, Público, 13.09.2017, p. 20).

    Isto diz-se assim? Ora, não me parece. Eu diria «a Apple está confortavelmente na dianteira». A língua é moldável, plástica, sim, é verdade, mas não podemos estraçalhá-la assim sem mais.

 

[Texto 8146]

Helder Guégués às 10:56 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
13
Set 17

A desevolução

Será uma fase — ou para sempre?

 

      Nem tudo neste triste mundo melhora, bem pelo contrário. A Uber, por exemplo, tem vindo a piorar a olhos vistos. São cada vez mais os motoristas, uberistas, que vêm lá detrás do sol-posto e não conhecem a cidade e — sobretudo — não sabem usar o GPS. Cinco estrelas abaixo de zero. Mais piorias: «Novo iPhone desbloqueado com a fase». É um título do Destak.

 

[Texto 8145]

Helder Guégués às 08:44 | comentar | favorito
Etiquetas: ,