09
Set 17

Luzes de terramoto

Algo de novo

 

      Tantos terramotos por que já passámos, e eis que se fala agora, a propósito do sismo no México, de um aspecto que desconhecia: as luzes de terramoto (EQL, earth quake light, para a legião de anglófonos que nos segue), fenómeno para o qual os cientistas só têm hipóteses. Curioso.

 

[Texto 8140]

Helder Guégués às 09:12 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:
07
Set 17

A guerra e a língua

De África

 

      Ah, agora é só linguagem castrense e bélica: abatises, quadrículas, flagelações, vagomestres, quarteleiros, cavalos-de-frisa, golpes-de-mão, RPG, LG, remuniciamento, etc. E, como é em África, catua, cambança, bolanha, mancarra, coconote, banja, bagabaga, morança... Mas não só: ali mais à frente, um grupo de soldados está encarregado da destronca de algumas árvores. E no quartel apareceu uma família de indígenas que nomadizava havia meses. Galicismos à parte, nem todas estão nos dicionários. Olha aquele magnífico «destronca». Bela língua!

 

[Texto 8137]

Helder Guégués às 20:10 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «javista», de novo

Se ainda há lógica

 

      Não regista o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora o termo Iavé? Regista. Por isso, aqui sugeri a inclusão de iaveísta, o que fizeram. Não regista o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora o termo Javé? Regista. Por isso, aqui sugeri a inclusão de javista, o que não fizeram. No fundo, é como dizia D. Hélder Câmara (1909-1999), arcebispo de Olinda e Recife: «A maneira de ajudar os outros é provar-lhes que eles são capazes de pensar.» Mas nem sempre é esse o caminho.

 

[Texto 8135]

Helder Guégués às 10:55 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «mariola»

Ou bruxas

 

      «Estes pequenos montes de pedra, na realidade, chamam-se mariolas e são essenciais para garantir a segurança de quem percorre os trilhos das grandes serras. No passado serviam de marcos de orientação para os pastores, sobretudo em condições atmosféricas difíceis como neve ou nevoeiro. Tantos anos depois continuam por lá e não perderam a sua função — se os [sic] passear ovelhas já não é o que era, elas continuam a ser essenciais na marcação dos trilhos para os caminhantes» («Está na moda encher a Serra da Estrela com mariolas — e isso é perigoso», Marta Gonçalves Miranda, NiT, 6.09.2017, 18h20).

     O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora diz-nos que mariola é o regionalismo para «monte de três pedras sobrepostas que, em certas serras ínvias, indica a direcção a seguir», mas não é o que se vê nas imagens de textos que falam sobre o assunto: são várias pedras, não três, nem talvez três vezes três, mas mais. E nem sempre são pedras, podem ser outros sinais. Também se chamam, noutras regiões, bruxas, e neste caso o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora não o regista.

 

[Texto 8134]

Helder Guégués às 08:51 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
06
Set 17

Léxico: «pluripotente»

Por acaso, não

 

     «As chamadas células pluripotentes induzidas são produzidas em laboratório, através da remoção de células maduras de um indivíduo – muitas vezes da pele – e reprogramadas para se comportarem como células estaminais embrionárias» («Parkinson. Cientistas conseguiram reparar neurónios através de células estaminais», Rádio Renascença, 31.08.2017, 7h58).

      «Queria pesquisar lucipotente?», pergunta o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora. Não, não queria.

 

[Texto 8130]

Helder Guégués às 08:16 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «anonimidade»

Apologia da pobreza

 

      «Um acidente em cadeia resultou em dois mortos e seis feridos, e o Mid Night Club, que tinha uma política de total segurança, foi desfeito, com os membros a regressarem à anonimidade» («Para entrar neste clube japonês secreto, era preciso andar a 250 km/h», Motor 24, 30.08.2017). Pergunta-me o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora: «Queria pesquisar atonicidade, canonicidade, unanimidade?» Sim, é mais usada no Brasil, mas, que diacho, também é nossa!

 

[Texto 8127]

Helder Guégués às 08:04 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
05
Set 17

Léxico: «epóxi»

O Diabo, a cola, a língua

 

      Preciso de colar uma base de Lego de 32 por 32 (espigas, como dizem os Espanhóis? Tudo menos studs ou pegs, como se diz em inglês), e a dificuldade é encontrar a cola adequada. Do que pesquisei, parece que o indicado é uma cola epóxi. Espero que a base não se funda. Resolver-se-á. Mas agora reparem: o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora regista epóxi e epóxido, mas somente como substantivos. E o adjectivo? No Dicionário da Real Academia Espanhola, podemos ver epoxi como substantivo e adjectivo. E também já vi, em português, «epóxico». Em suma, estamos entregues a nós mesmos, nenhuma instituição defende a língua. Agora que, com as primeiras chuvas, o Diabo já se foi embora, o Presidente da República não devia pensar nesta questão?

 

[Texto 8121] 

Helder Guégués às 09:42 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «mentirómetro»

Ora, e porque não?

 

      «“Mentirómetro”. ​Trump ultrapassou as mil declarações falsas ou enganosas» (Rádio Renascença, 23.08.2017, 23h24). Claro que é um termo inventado, jocoso, mas há anos que o vejo por aí, e até em livros. Trump, para significar o mesmo, tem de dizer o quê?, talvez bullshit meter. Senhores lexicógrafos, ponham lá a palavra nos dicionários.

 

[Texto 8120]

Helder Guégués às 09:37 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «soninquê»

Apagam a História

 

      E a propósito de Farim: junto desta povoação viviam os Soninquês. O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora não regista este gentílico (e nome da língua, do ramo mandinga); o Michaelis regista-o. A Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira regista-o; Rebelo Gonçalves não o regista. Copiamos os bons ou os maus?

 

[Texto 8117]

Helder Guégués às 09:24 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
03
Set 17

Léxico: «dostoievskiano»

Essa é boa

 

     Estranhas pontas soltas na Infopédia: só vamos encontrar o adjectivo dostoievskiano no Dicionário de Português-Inglês. O primeiro cuidado de quem registou o verbete tinha de ser comprovar se já estava no Dicionário da Língua Portuguesa.

 

[Texto 8114]

Helder Guégués às 06:00 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,