Carta mandadeira

D’este viver aqui

 

      «O executivo liderado por Sócrates “ao contrário do que era prática comum na elaboração das Cartas Mandadeiras que nomeavam os seus representantes às Assembleias Gerais da PT”, sustenta a acusação, “não fez constar qualquer instrução de voto” no documento em que nomeou Sérvulo Correia» («Instruções verbais do Governo Sócrates definiram voto na PT», Mariana Oliveira, Público, 15.10.2017, p. 12).

      A jornalista pensa que é o título de uma obra, como Cartas da Guerra — D’este Viver Aqui Neste Papel Descripto, de Lobo Antunes. Valha-me Deus. São cartas mandadeiras, isto é, cartas em que há uma procuração outorgada para efeitos de representação voluntária. O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, que regista mandadeiro, podia muito bem registar a locução carta mandadeira — sobretudo porque a Infopédia já a regista no Dicionário de Português-Francês (lettre missive). Pontas soltas.

 

[Texto 8225]

Helder Guégués às 10:00 | comentar | favorito
Etiquetas: ,