Infinitivo impessoal como complemento nominal

Ou preciso de um optometrista?

 

      «Tudo vai depender, como vimos hoje de manhã, da força da norma-padrão em impor suas formas de uso da língua. Por enquanto fica difícil prever de quem será a vitória final» (A Língua de Eulália: Novela Sociolingüística, Marcos Bagno. São Paulo: Editora Contexto, 15.ª ed., 2006, p. 180).

   Sim, eu sei que o autor é doutor em Filologia e em Língua Portuguesa (vénia e segue a pergunta): quando o infinitivo impessoal serve de complemento nominal a adjectivos, não é sempre precedido da preposição «de»? No caso, «fica difícil de prever». Estou a ver bem?

 

[Texto 8016]

Helder Guégués às 20:53 | comentar | favorito
Etiquetas: ,