«Jardineta», de novo

E outra

 

      «Finalmente, enconchado no vale, dominando o vetusto casario da vila, o palácio de Sintra, coroado pelas duas enormes chaminés, campeia os seus terraços e varandins, alegrados de jardinetas e flanqueados de árvores umbrosas» (Guia de Portugal, Raul Proença (coord.). Lisboa: Biblioteca Nacional, 1924-27, p. 538). Ainda hoje a palavra é usada, e por isso seria bom vê-la nos dicionários, como já aqui desejámos.

 

[Texto 8015]

Helder Guégués às 19:00 | comentar | favorito
Etiquetas: ,