«Judicialista», de novo

Já são muitas

 

      «A condenação de Lula da Silva, o referendo anti-Maduro na Venezuela e a radicalização do regime turco de Taayp Erdogan foram temas em destaque no Fora da Caixa desta semana, com Pedro Santana Lopes e António Vitorino. “A onda judicialista só existe porque os sistemas estão degradados”, afirma o antigo comissário europeu António Vitorino» («“Onda judicialista só existe porque os sistemas estão degradados”», Rádio Renascença, 19.07.2017).

   Já a vimos aqui, e o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora continua a ignorá-la. Aqui vimos outra, juridismo, mal usada pelo eurodeputado Paulo Rangel (que um dia virá aqui explicar-nos o que pretendeu dizer), que aquele dicionário não regista (e faz bem, pois não se sabe o que significa exactamente), como não regista juridicismo.

 

[Texto 8042]

Helder Guégués às 13:29 | comentar | favorito
Etiquetas: ,