20
Nov 17

Como se traduz por aí

Problemas com os dicionários?

 

      Ontem à noite, vi quase todo o episódio de Testemunha Silenciosa (temporada 9, episódio 1) na Fox Crime. Enfim, achei que não me faria mal. Às tantas, aparece uma detective e diz ao chefão, referindo-se a um suspeito: «Ele tem cadastro por fraude e logro.» Isto segundo a tradução e legendagem de Lígia Teixeira, da Wordzilla. Só há um problema, e grande, e é que «logro» não é palavra que se encontre no nosso Código Penal. No original, está «for fraud and decepcion». Será então assim: «Ele tem cadastro por fraude e burla.»

 

[Texto 8359]

Helder Guégués às 11:21 | comentar | favorito
Etiquetas: ,
16
Nov 17

Como se fala na televisão

Ainda sem nota de imprensa

 

      Grande operação policial no Bairro da Cruz Vermelha, na Alta de Lisboa: 300 inspectores da PJ no local! Terão ido de metro? Como os outros de ontem, agora já constituídos arguidos, também estes se enganaram no prédio, e arrombaram várias portas erradas. O que se diz nestes casos? Talvez ups, não? A SIC Notícias está lá e a repórter Ana Moreira acaba de dizer que «várias casas foram buscadas»...

 

[Texto 8344]

Helder Guégués às 10:22 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
24
Out 17

O que se escreve por aí

Vai, e não contes a mais ninguém

 

      A caminho do FOLIO – Festival Literário Internacional de Óbidos, hein? Muito bem, muito bem. E que vais ver?... Ah, vais à Livraria Histórias com Bicho ver a exposição «Haviam 2 Meninos...». Vai, e não contes a mais ninguém.

 

[Texto 8256]

Helder Guégués às 09:33 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
23
Out 17

Tradução: «strident»

É preciso ver

 

      «Nas docas da cidade, onde pela manhã os pescadores remexem o salmão pescado na noite anterior, o apoio declarado a Abe mistura-se com a preocupação de que ele seja demasiado estridente e esteja a pôr o Japão em risco» («“Não temos onde nos esconder”», Malcolm Foster, Reuters, tradução de António Domingos, Público, 22.10.2017, p. 19).

      Sim, sim, no original está «too strident», mas strident tem vários significados, é polissémico, e este não se adequa ao contexto. No caso, é enérgico, veemente.

 

[Texto 8251]

Helder Guégués às 08:33 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas: ,
20
Out 17

Episódios domésticos

Em casa do vizinho

 

      A ler um livro de Mário Zambujal, hem? Grande intelectual. Mas depois: «Querido, está aqui “observe-se a estatuária de antanho”. Diga-me: “antanho” é “pedra”, “mármore”, ou qualquer coisa assim, não é?»

 

[Texto 8241]

Helder Guégués às 08:41 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

«Doença celíaca»

Pense bem

 

      «Também é recomendada uma avaliação prudente e personalizada daqueles [candidatos a seminaristas] que “são afetados por celíaca ou dos que sofrem de alcoolismo”» («Vaticano quer evitar padres gays e pedófilos», Sónia Trigueirão, Correio do Manhã, 16.10.2017, p. 16).

      Cita bem a jornalista (só é pena não encontrar uma palavra portuguesa para gay, não é?), pois é o que se lê na nova Ratio fundamentalis institutionis sacerdotalis, actualizada — em Dezembro de 2016, mas só agora os jornalistas deram por isso — quase cinquenta anos depois. Bem vejo que o erro é dos serviços de tradução do Vaticano. Pena é que a jornalista não conheça melhor a sua língua. É certo que em castelhano se diz celiaquía (como também se diz enfermedad celíaca), e em francês cœliaquie, e em italiano celiachia — mas em português é doença celíaca, assim como em inglês é celiac disease. Não citava textualmente, tirava as aspas e escrevia de forma correcta — e o leitor, que até pagou o jornal, agradecia.

[Texto 8240]

Helder Guégués às 08:37 | comentar | favorito
Etiquetas: ,
18
Out 17

Dicionários: faltas e anomalias

Teratologia dicionarística

 

      Estive a pesquisar nos dicionários aranha no sentido de pele do escroto. Nada. No Dicionário de Termos Médicos da Porto Editora, encontrei, no verbete dartos (e porque não está este no Dicionário da Língua Portuguesa, pode saber-se?), esta coisa estranha: «Membrana do escroto, situada a seguir à pele, composta por fibras musculares lisas, fibras conjuntivas e fibras elásticas, que se prolonga para o abdómeneo, e períneo, onde se insere.» «Abdómeneo»? Não será antes «para o abdómen e o períneo»?

 

[Texto 8232]

Helder Guégués às 09:19 | comentar | ver comentários (4) | favorito
Etiquetas: ,
10
Out 17

Como se escreve por aí

Sabem, pois

 

   «Next moment...» O tradutor não hesita um segundo: «Ato contíguo...» Talvez possamos disparatar em inglês, não? O momento exige-o: Oh, fuck, fuck, fuck! Já está. De outiva, corre mal. Rapaz, é «acto contínuo».

 

[Texto 8206]

Helder Guégués às 07:45 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
08
Out 17

A revisão da INCM

Livra!

 

       Um leitor habitual do blogue chamou-me a atenção para o texto do Decreto-Lei n.º 126/2017, de 4 de Outubro, que veio aprovar o sistema braile. No texto, porém, falam em «Sistema Braille» — quase Deus —, «Braille», «realidade braillográfica», «material signográfico»... Sim, isto veio do Conselho de Ministros e na INCM acharam que não valia a pena alterar — ou estão proibidos de alterar, resultado de inépcias do passado recente? Mas, e a pontuação errada? Ah, INCM, quem tem viu e quem te vê...

 

[Texto 8203]

Helder Guégués às 11:15 | comentar | favorito
Etiquetas: ,
07
Out 17

Erros há muitos

Mata-bichar

 

      Já aqui tenho corrigido erros crassíssimos do Mata-Bicho, com Bruno Nogueira, na Antena 1, erros de português, mas na edição de ontem («Cavaco não vota, a Catalunha, sim») encontrei erros factuais, de alguma maneira ainda mais indesculpáveis. Por exemplo? «O Aníbal não sabe que se pode votar antes do dia das eleições.» A lei estabelece isso, de facto, mas exige um documento assinado pelo superior hierárquico, pela entidade patronal ou outro que comprove suficientemente a existência do impedimento. Aplicar-se-á? É que Cavaco foi a um casamento na Escócia. E se, por exemplo, um eleitor for com a amante passar o fim-de-semana numa casa de turismo rural, quem passa o comprovativo — a amante ou o dono do estabelecimento? Mais: «O Aníbal, que se gabou de ter feito 600 quilómetros de carro e motorista pago por nós para ir de Albufeira à Universidade de Verão do PS, demonstra desdém pelas eleições.» Do PSD, João Quadros. Para terminar, a forma como Bruno Nogueira pronuncia o nome Rajoy é de morrer a rir. João Quadros tem dois caminhos: ou passa a estar mais atento, ou contrata os serviços de um revisor.

 

[Texto 8195]

Helder Guégués às 13:28 | comentar | favorito
Etiquetas: ,
28
Set 17

Incultura geral

Antes surdo

 

      Perdido na gaveta dos retroses, encontrou um porta-chaves com o símbolo ☮ . «Nonô, queres este porta-chaves da Mercedes?»

 

[Texto 8175]

Helder Guégués às 22:17 | comentar | favorito
Etiquetas: