«Tratar-se de», novamente

Lamentável

 

      O Ministério Público acusou o cantor Tony Carreira de plagiar onze músicas de autores estrangeiros, com a colaboração do compositor Ricardo Landum. Querida mãezinha! Mas vejamos como se escreve no Ministério Público, porque isso interessa-nos mais: «“Os arguidos publicaram e divulgaram trabalhos mesmo sabendo que se tratavam de meras reproduções, ainda que parciais, de obras alheias, sem individualidade própria, tendo representado a possibilidade de estarem a plagiar obras de outros artistas, e ainda assim conformaram-se com tal resultado”, sublinha o MP» («Ministério Público acusa Tony Carreira de plagiar 11 músicas», Rádio Renascença, 12.09.2017, 14h12).

      Pois, não melhoraram nadinha. No Limoeiro não lhes ensinam isto. Senhor magistrado autor do texto, está errado: tratar-se é um verbo defectivo e impessoal, pelo que se usa sempre na 3.ª pessoa do singular. Do Ministério Público, já aqui tivemos uma amostra do mesmo jaez.

 

[Texto 8150]

Helder Guégués às 15:09 | favorito
Etiquetas: ,