Ortografia: «Edimburgo»

Não é bem

 

 

      Acabei de falar pelo Ipad (graças ao Freephoo) com o meu amigo David C. Está em Edimburgo. Não Edinburgo, caro Miguel Esteves Cardoso: «No Sunday Telegraph de anteontem, contava-se a anedota de um homem que dizia que “queria morrer como o pai, sossegado a dormir – e não como os passageiros dele, aos gritos, cheios de medo”. Acabou mais um Festival de Edinburgo, com mais comediantes do que sempre (sobretudo porque os velhos continuam a comparecer) e os comentadores dos jornais ingleses, a dormir em camaratas e a levar, ressacados ou bêbados, com dez horas seguidas de comediantes, lamentam-se que já ninguém tem a graça que tinha e que os novos não têm graça nenhuma» («A idade do riso», Miguel Esteves Cardoso, Público, 26.08.2011, p. 31). Mas Miguel Esteves Cardoso não nos desensina apenas: «É tal a fartura, hoje em dia, de comediantes autores e intérpretes (o termo standup não diz nem traduz nada), que não é possível seguir as carreiras dos quarenta ou cinquenta melhores, conhecidos ou por conhecer.»

 

[Texto 433] 

Helder Guégués às 11:09 | comentar | favorito
Etiquetas: