«Linguagem criminal»

Eh lá

 

 

      «O culpado tem um rosto e uma voz, pois deu logo a cara e reclamou logo, com irrepremível orgulho, que era ele. Alegou até, usando linguagem criminal, ter actuado em “legítima defesa”, pois “eles ainda nos tiravam mais dinheiro se andássemos a mostrar o jogo”» («O carnaval madeirense», Carlos Fiolhais, Público, 7.10.2011, p. 38).

      «Linguagem criminal?» Valha-o Deus, homem! Isto é, senhor professor doutor.

 

[Texto 555] 

Helder Guégués às 16:19 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: