«Homilia/homília»

Falsa esdrúxula

 

 

      «“Deixai que bos fale na buossa lhéngua mirandesa; perdonai-me se nun la sei falar tan bien cumo bós”, foram as primeiras palavras em mirandês proferidas por D. José Cordeiro, durante a parte final da homília que decorreu na Sé de Miranda» («Bispo deu parte da missa em mirandês», Diário de Notícias, 10.10.2011, p. 11).

      Os leitores mais atentos viram decerto que no texto sobre o vocábulo «concatedral» foi usada a palavra «homília» e não, como é mais vulgar, «homilia». E usada quatro vezes.

     No mesmo artigo, uma caixa de texto relembra que o mirandês é desde Janeiro de 1999 a segunda língua oficial de Portugal, mas que «não existe um número rigoroso de falantes». Ah não?

 

 [Texto 570] 

Helder Guégués às 09:57 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: