Cartas de Camões

 

Alguém sabe?

 

 

      Escreveu Camões numa carta: «Este soldo se paga no Tesouro, s. em talhadas de marmelada e púcaros de água fria, com uns debruns da vista da senhora sua irmã. Que, ainda que esta mercadoria seja defesa pelo senhor da fortaleza, nestas viagens da China, mais se ganha no furtado que no ordenado.» Ah, sim, também merece reflexão, acho eu, a anteposição do pronome ao verbo. O que me traz aqui, porém, é aquela abreviatura misteriosa: s. É assim que vejo em todas as edições — sem uma nota explicativa. Ah, esperem: num número da Lusitânia, o s tem um ponto antes e outro depois — .s. —, o que não complica nem simplifica nada. É mesmo abreviatura? Ou será mais uma gralha que passou de edição em edição?

 

[Texto 593] 

Helder Guégués às 21:22 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: