«Apelar»: regência

Mais uma oportunidade

 

 

      «O vereador José Sá Fernandes diz que a câmara está a cumprir um “serviço público” e apela às pessoas para não abandonarem os animais» («Obras no canil e gatil de Monsanto prontas até Fevereiro de 2012», Marisa Soares, Público, 26.05.2011, p. 26).

      Senhora jornalista, não é essa a regência do verbo «apelar». Se não quiser aprender connosco, aprenda com Eça de Queirós: «E então o marquês, de pé e bracejando, apelou para Carlos, e quis saber o que é que Craft em princípio entendia por senso moral» (Os Maias, Eça de Queirós).

 

[Texto 62]

 

Helder Guégués às 14:34 | comentar | favorito
Etiquetas: