Tradução: «think outside the box»

A toque de caixa

 

 

      «As taxas de referência de detecção de pólipos de cada médico eram respectivamente de 21,5% e 27,16%. Mas, graças às composições do genial Amadeus, elas passaram para respectivamente 66,7% e 36,7%. “Tudo o que for possível fazer para aumentar essas taxas”, diz O’Shea, “tem o potencial de salvar vidas.” Apesar de ser muito pequeno, o estudo tem o mérito de pôr em evidência os benefícios de pensar “fora da caixa”, salienta a investigadora» («Colonoscopias: Mozart é preciso», Ana Gerschenfeld, «P2»/Público, 1.11.2011, p. 3).

      Mesmo com aspas, é — e não quero parecer sobranceiro — uma tradução lamentável do original e incompreensível para a maioria dos leitores: «thinking outside the box». A história da expressão, que não é nossa nem dela carecemos, está aqui. Qualquer leitor, imagino, encontrará uma forma melhor de dizer o mesmo.

 

 

[Texto 629] 

Helder Guégués às 14:52 | comentar | favorito
Etiquetas: