Tradução: «castor bean»

Ah, está bem

 

 

   Hoje, quando atravessava um jardim, duas senhoras cumprimentavam-se. Uma delas queixou-se do colesterol alto. A outra, bem-humorada, recomendou-lhe então que mudasse para GTX. É algo que entrou na linguagem comum. Colesterol, Castrol. O que eu não sabia e só hoje soube é que o principal componente deste lubrificante para automóveis é o óleo do feijão castor (Ricinus communis). Bem, castor beans para os anglo-saxónicos (e, vá lá, para alguns tradutores…), que para nós a designação é rícino, também conhecido por bafureira, carrapateiro, mamona e mamoneiro.

 

[Texto 657] 

Helder Guégués às 14:48 | comentar | favorito
Etiquetas: