Léxico: «indigestível»

Difícil de digerir

 

 

 

      «A fibra», escreve a autora do livro, «outro tipo de hidrato de carbono, é indigestível e passa pelo sistema digestivo quase inalterável.» Nunca eu tinha visto a palavra «indigestível», mas só por acaso. Chega-se a ela facilmente. O Dicionário Priberam da Língua Portuguesa também a ignora. Regista tão-somente, à semelhança do Dicionário Houaiss, «indigerível». O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora regista «indigestível» mas remete para «indigerível», o que é sempre entendido (mas em dicionários tão revoltantemente descritivos parece-me contra-senso) como indicando a forma mais correcta. Este dicionário poderá (era preciso ver as várias edições) ter ido buscar o verbete ao Grande Dicionário da Língua Portuguesa coordenado por José Pedro Machado, que o terá ido encontrar em Cândido de Figueiredo.

      Vendo bem, «indigerível» até perde em comparação com «indigestível», pois é parónimo de «indirigível». Contudo, os sentidos figurados de «indigerível» não se podem transferir para «indigestível». «Namora, em que pese a verdura dos seus vinte e poucos anos, afeiçoa-os [personagens da obra Fogo na Noite Escura] já com amor e minúcias de subtil psicólogo, às vezes quase finamente perverso, dá-lhes espessura e liberdade de se “desviarem”, quando isso lhe apraz, daquele comportamento exemplar que tornou indigerível tanto herói “típico” de tanta literatura intragável» (O Objecto Celebrado, Eugénio Lisboa. Coimbra: Universidade de Coimbra, 1999, p. 137). Reparem: a literatura é «intragável», isto é, desagradável, intolerável, e, num paralelismo não inesperado, a caterva de heróis típicos é «indigerível», isto é, insuportável, inaturável.

 

 

[Texto 7]

 

 

Helder Guégués às 10:08 | favorito
Etiquetas: