«We have to stop»

Stop!

 

 

      Ora aqui está algo que me intriga e — não o escondo — me irrita um pouco: traduzir-se sempre to stop por «parar». Deve ser influência, ínvia e inconsciente, das regras e dos sinais de trânsito. Seja esta frase, por exemplo: «We have to stop thinking of the child as a “problem” that needs correction.» Mesmerizado, hipnotizado, digo, o tradutor verte: «Temos de parar de pensar na criança como um “problema” que tem de ser corrigido.» Na variante brasileira, é comum essa forma de dizer: «temos de parar de», porventura também por influência do inglês. Parece-me mais genuinamente português escrever: «Temos de deixar de pensar na criança como um “problema” que tem de ser corrigido.» Afinal, não é assim que falamos?

 

[Texto 730]

Helder Guégués às 10:11 | comentar | favorito
Etiquetas: