23
Ago 11

Identidade/semelhança

Falta pouco

 

 

      «“Encontrámos uma espécie nova de levedura na Patagónia, a Saccharomyces eubayanus, cujo genoma é 99,5% idêntico ao da híbrida”, adiantou ao DN José Paulo Santos, do Centro de Recursos Microbiológicos (CREM) do Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (FCT/UNL), que liderou o projecto» («Resolvido o enigma da cerveja ‘lager’», Filomena Naves, Diário de Notícias, 23.08.2011, p. 34).

      Está muito perto da identidade, sim, mas 99,5 % ainda é semelhança.

 

[Texto 416]

Helder Guégués às 23:59 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:

«Deixar cair», de novo

Pois é pena

 

 

      «Na audiência marcada para hoje, o juiz irá decidir se as acusações vão ou não ser deixadas cair. Se, tal como é habitual, a recomendação da Procuradoria for aceite, o caso será arquivado e Strauss-Kahn terá permissão para viajar livremente e regressar a França caso assim o deseje» («Procurador pede abandono das acusações a DSK», Catarina Reis da Fonseca, Diário de Notícias, 23.08.2011, p. 25).

      Ou não nos lê ou não ficou convencida – tanto mais que não chegámos a saber ao certo se a expressão é cópia do inglês, do espanhol ou do francês. Apenas concluímos que não era português de lei.

 

[Texto 415]

Helder Guégués às 23:29 | comentar | ver comentários (9) | favorito
Etiquetas:
23
Ago 11

Sobre «alambrado»

Não aqui

 

 

      Acabei de ler esta frase: «Entretanto, o Governo de Kim Jong-il reforçou a vigilância ao longo da fronteira com a China, instalando novas câmaras [de] vídeo e alambrados para impedir a fuga de cidadãos e o contrabando.»

      Temos, é verdade, o verbo alambrar – vedar um terreno com fiadas de arame –, que recebemos do castelhano, mas o substantivo «alambrado» foi bem recebido no Brasil, não entre nós. Entretanto, convém dizer que a definição que consta do Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, que dá o vocábulo como sendo usado no Brasil, carece de ser corrigida.

 

[Texto 414]

Helder Guégués às 08:34 | comentar | ver comentários (15) | favorito
Etiquetas: