27
Set 11

Aposto e pontuação

Há sempre quem

 

 

      «Vítor Serpa, director d’A Bola [,] é também um insigne agente secreto da escola de George Smiley, brilhantemente encarnado por Alec Guinness na BBC e agora redefinido, com o “fulgor baço” de Pessoa, por Gary Oldman, no belo filme de Tomas Alfredson que é Tinker Tailor Soldier Spy» («O faro e a fruta», Miguel Esteves Cardoso, Público, 27.09.2011, p. 31). É pouco mas de boa vontade: o aposto vem sempre separado por vírgulas dos demais termos da oração. Claro que o nosso cronista saberá — mas como há quem não saiba, fica a lição.

 

[Texto 530] 

Helder Guégués às 19:40 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:

De «Vietename» a «melhorezinhos»

Então leiam

 

 

      Um artista da escrita escreveu aqui «melhorezinhos», o que me fez lembrar de um caso semelhante de epêntese: nos idos de 1950, escrevia-se correntemente na imprensa portuguesa Vietename. Sabiam? «A crise do Vietename ameaça reflectir-se desfavoràvelmente nas relações franco-americanas», lia-se na edição de 28 de Abril de 1955 do Diário Popular. E lá aparece um desenho do rosto de Ho Chi Minh, «o ditador do Vietename do Norte».

 

[Texto 529] 

Helder Guégués às 12:09 | comentar | ver comentários (9) | favorito
Etiquetas:
27
Set 11

Vocabulário Ortográfico Comum

Que voltas vão dar


 

      É notícia de ontem: os lexicógrafos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) estão reunidos em Cabo Verde para definir a metodologia destinada a «consolidar» os dois vocabulários ortográficos já existentes. Gilvan Moller, o director executivo do Instituto Internacional de Língua Portuguesa (IILP), afirmou que «nesta reunião, vamos criar a metodologia para a consolidação dos dois vocabulários que já existem em Portugal e no Brasil num só, a partir de uma base informática comum e usando os mesmos critérios de incorporação das palavras», o que deverá estar pronto até à Cimeira de Maputo, prevista para Julho de 2012.

      Sempre dissemos, os cépticos, que jamais iria haver um vocabulário ortográfico comum — agora talvez tenhamos de passar a dizer: «Vamos ver o que sai.» Quanto a mim, só espero para ver que voltas especiosas vão dar ao conceito de comunidade para o adequarem ao que vão engendrar.

 

[Texto 528]

Helder Guégués às 06:10 | comentar | ver comentários (5) | favorito
Etiquetas: