14
Dez 11

Como se escreve nos jornais

Sonicamente

 

 

      «Ainda não escapámos ao feitiço de Wit’s End, o álbum emocional e sonicamente mais poderoso que ouviremos neste e em muitos anos, e já Cass McCombs lhe dá sequência com uma nova colecção de canções» («Cass McCombs», Mário Lopes, «P2»/Público, 14.12.2011, p. 10).

      Fez-me lembrar outro «sonicamente»: «O vocabulário de Valdez ensina a pronunciar Nors-ori; Walker e Smart mandam pronunciar Nurse-ry; o snr. Conceição quer que sonicamente se diga Nersery. Elle de idiomas percebe. No francez é o que se sabe; no inglez é o que se vê; no portuguez, quando souber declinar os pronomes reciprocos, está prompto» (Boémia do Espírito, Camilo Castelo Branco. Porto: Livraria Civilização, 1886, p. 432).

 

[Texto 823]

Helder Guégués às 21:37 | comentar | ver comentários (4) | favorito
Etiquetas:

«No arco de x anos»

E esta?

 

 

      Imagino que também tenha origem no inglês. Cada vez vejo mais a expressão «no arco de x anos». Ainda agora: «Não é irrealista pensar que, no arco de uma dezena de anos, etc.» Estou mesmo a ver: «It’s not unrealistic to think in the arc of a dozen years, etc.» Sempre se disse e escreveu «no espaço de x anos», «dentro de x anos».

 

[Texto 822]

Helder Guégués às 18:54 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas:

Como se escreve nos jornais

Escreve-se assim

 

 

      A casa de um dos inspectores da Polícia Judiciária de Aveiro, envolvido nas investigações do caso «Face Oculta», foi assaltada na semana passada. «Outro dos dados que os investigadores dão como garantido é que o assalto terá sido devidamente preparado e estudado. Tudo leva a crer que os assaltantes tenham prestado previamente vigilância ao apartamento do investigador da PJ, situado na cidade de Ovar, para aferir os hábitos de entradas e saídas dos habitantes da casa» («Casa de investigador da PJ do Face Oculta foi assaltada», Maria José Santana, Público, 14.12.2011, p. 10).

 

[Texto 821]

Helder Guégués às 12:56 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas:
14
Dez 11

«Levantar em braços»

Exagerado

 

 

      No Jornal da Tarde, na RTP1. Uma criança chinesa faz uma birra e a mãe deixa-a um pouco para trás. Logo de seguida, aparece um veículo, um SUV — «veículo de mais de uma tonelada», diz o jornalista Pedro Oliveira Pinto — que lhe passa por cima. A condutora repara no que acaba de acontecer, pára e desce. Os transeuntes e outros condutores vêm ajudar. «Foram dezasseis os que pararam para levantar o carro em braços», diz o jornalista. O que se , contudo, é que as pessoas mal levantam o carro, e só de um lado.

      «Quem de vós a quer agora, quem a vem levantar em braços deste esquife para a levar ao leito nupcial? Quem quer beber dos seus lábios o veneno que a matou?» (In Nomine Dei, José Saramago. Lisboa: Editorial Caminho, 1993, p. 110).

 

[Texto 820]

Helder Guégués às 07:52 | comentar | favorito
Etiquetas: