28
Jan 12

«Walls to the People»

Esperam o nosso contributo

 

 

      «Mas vamos aos factos. A Fundação de Serralves inaugura amanhã uma instalação de João Paulo Feliciano (n. Caldas da Rainha, 1963), Walls to the People, numa parceria com o SIM – Movimento pela Criatividade em Portugal, da Samsung. [...] Feliciano começou, de resto, por explicar que vê Walls to the People – mesmo não gostando do título em inglês – mais como “um projecto artístico do que uma exposição ou sequer uma instalação”» («Serralves não está à venda», Sérgio C. Andrade, «P2»/Público, 27.01.2012, p. 12).

      Coitado do artista, ter sido obrigado a aceitar um título inglês para a sua obra... Ah, mischief... E a acepção de «instalação» usada no texto já está dicionarizada, sim, mas talvez precise, em todos os dicionários, de ser revista. E a propósito: hoje, pela primeira vez, se não ando distraído, apareceu no fim de cada verbete dos dicionários em linha da Porto Editora uma caixinha com as palavras «Sugerir ou comentar». Abre-se um «menu pendente», como dizem os informáticos, e lemos: «Deseja sugerir uma nova entrada? Deseja sugerir um novo sentido? Deseja sugerir uma expressão ou exemplo? Outra sugestão ou comentário?» Vamos lá contribuir, se faz favor. Mesmo sem Broadmoor, gostava de ser um novo W. C. Minor.

 

[Texto 1025]

Helder Guégués às 01:13 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas:
28
Jan 12

Vocativo e pontuação

Ó senhores

 

 

      «Piers Morgan entrevistava Alec Baldwin no seu show na CNN quando o actor o surpreendeu usando um sotaque britânico e trocando de papel com o entrevistador. O tema era a vida amorosa de Baldwin e este devolve a pergunta a Morgan, recorrendo a um sotaque britânico: “Devo perguntar-lhe Piers se já alguma vez esteve de facto apaixonado. Foi o seu staff que me pediu para lhe dirigir esta pergunta.” Piers Morgan reagiu com uma gargalhada e elogiando a imitação do sotaque» («Baldwin, Piers e o verdadeiro amor», «P2»/Público, 27.01.2012, p. 17).

      Mesmo os revisores — quantas vezes o vimos no Assim Mesmo? — parece que têm uma certa dificuldade em reconhecer o vocativo nas frases. Há aqui um certo atavismo, não obedecem nem reconhecem quando lhes fazem reparos, por isso não vêem que está ali um vocativo. Vocare, chamar.

 

[Texto 1024]

Helder Guégués às 00:41 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas: