19
Fev 12

O AOLP90 e os cágados

Assim não convence ninguém

 

 

      «Mas faltam ainda muitas assinaturas, por isso este apelo que hoje faço a toda a gente que acha que tirar o acento ao cágado é humilhante para a criatura, que ver Clara a boiar não teria sido certamente a intenção do prémio Nobel autor de Clarabóia, ou que não esteja minimamente de acordo com a transmutação absurda de espectadores em bandarilheiros» («Ilcao.cedilha.net», Manuel Luís de Bragança, Público, 19.02.2012, p. 52).

      Manuel Luís de Bragança, subscritor da iniciativa legislativa de cidadãos pela revogação da entrada em vigor do Acordo Ortográfico de 1990, confunde os acordos ortográficos. No texto do acordo de 1986 é que «cágado» perdia o acento. Talvez Manuel Luís de Bragança queira vir aqui explicar porque o fez.

 

 

[Texto 1124] 

Helder Guégués às 14:22 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:
19
Fev 12

«Dicção» e «dicionário»

O AOLP definitivamente explicado

 

 

      Helena Topa, professora do ensino superior, tradutora e revisora de texto, no Público de hoje: «4.º Parece-me que algumas mudanças são empoladas e dramatizadas (e serão assim tantas e com tantos efeitos? Experimentem ler textos de jornal, aqui no PÚBLICO, por exemplo, onde as duas normas convivem, e não vão notar assim tantas diferenças). Aqui d’El-Rei!, como irá um professor explicar ao pobre aluno que ‘Egito’ se escreve sem p e ‘egípcio’ com? Do mesmo modo que terá de explicar, por exemplo, que ‘dicção’ se escreve com c e ‘dicionário’ sem. E outras irregularidades (não só ortográficas) da língua» («Acordo Ortográfico: prós e contras», p. 52).

      Como se fossem situações semelhantes. Desde quando é que o falante comum, e em especial as criancinhas que estão a aprender, pois é neste contexto que a autora usa o argumento, liga «dicção» a «dicionário» como liga «Egipto» a «egípcio»?

 

[Texto 1123]

Helder Guégués às 08:43 | comentar | ver comentários (6) | favorito
Etiquetas: