29
Fev 12

«Fita do tempo»

Ora esta

 

 

      Estamos sempre — qual é a dúvida? — a aprender. Numa mensagem de correio electrónico, um militar fala-me da «fita do tempo» de certas actividades. Nunca tinha lido ou ouvido tal expressão. Distraí-me em algum momento, pois Boaventura de Sousa Santos tem, sei-o agora, uma obra com o título A Fita do Tempo da Revolução (Edições Afrontamento). Na sinopse, pode ler-se: «O texto que vos apresento tem um nome estranho, Fita do Tempo. Não é uma metáfora poética sobre o passar do tempo. É o nome militar do registo de operações. Tal como na Marinha há o diário de bordo, no Exército há a fita do tempo. Trata-se do registo das operações que na noite de 24 para 25 de Abril de 1974 derrubaram a ditadura...»

 

[Texto 1158]

Helder Guégués às 17:13 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:

A abreviatura: FFAA

Abreviaturas

 

 

   «As FAA deverão dispor de estruturas, dispositivos e forças em condições de, etc.» E por ali abaixo, dezenas de vezes, FAA. Não pode ser: se dobra o A, de «Armadas», também tem de dobrar o F, de «Força». FFAA. Claro que nunca mais ouvi ou li a expressão «Forças Armadas» que não me lembrasse da «Força Armada» do preclaro VPV.

  «O objectivo era, creio bem, sair das FFAA logo que pudessem» (Os Anos Decisivos: Portugal 1962-1985. Um Testemunho, César de Oliveira. Lisboa: Editorial Presença, 1993, p. 124).

 

[Texto 1157] 

Helder Guégués às 15:59 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas:

«8 p. 100»

Esta é nova

 

 

      Comecei a ler Portugal, o Mediterrâneo e o Atlântico, de Orlando Ribeiro, na 6.ª edição, de 1991, da Livraria Sá da Costa Editora. Lembrei-me do que escreveu aqui Montexto sobre o géografo: «Aproveitemos igualmente nós pelos cabelos esta oportunidade, mas de dizer bem — tão difícil, de rara, — para saudar em Orlando Ribeiro um cientista que era também um óptimo escritor, que se lê melhor e com mais proveito do que muitos da chamada literatura amena. Um prazer lembrar aqui o título Portugal, o Mediterrâneo e o Atlântico.» Logo nas primeiras vinte linhas, vi algo que nunca antes vira: «A sua gente representa cerca de 250 milhões, apenas 8 p. 100 da humanidade em 1,5 p. 100 da superfície emersa do Globo» (p. 1). Caro Fernando Ferreira, já conhecia esta notação?

 

[Texto 1156]

Helder Guégués às 08:41 | comentar | ver comentários (4) | favorito
Etiquetas:
29
Fev 12

Tradução: «fiscal»

A pressa e tal

 

 

      «Após declarar perante o juiz durante mais de 16 horas, o interrogatório a Iñaki Urdangarín prosseguiu pela noite dentro sob o comando do fiscal anticorrupção» («Resposta evasiva de Urdangarín pode levar infanta ao juiz», Jornal de Notícias, 27.02.2012, p. 29).

      São tão bons tradutores, no Jornal de Notícias, como os da RTP. Não lhes ocorre que o termo «fiscal», entre nós, não se refere a quem exerce funções em tribunais. O fiscal castelhano é o correspondente ao nosso procurador adjunto. Dementres, é melhor frequentarem, se o caso se arrastar, um curso de Espanhol Jurídico. Ora deixem cá ver... Em 30 horas e por 300 e tal euros, podem aprender alguma coisa. Ou gratuitamente, aqui no Linguagista.

 

[Texto 1155]

Helder Guégués às 07:58 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas: