21
Mai 12

Plural metafónico

Eu seja surdo se

 

 

      «O alerta foi dado por funcionários da obra. Preparavam-se para mais um dia de trabalho num dos troços da futura Auto-Estrada n.º 4, em Mouçós-Vila Real, quando encontraram o tractor tombado numa via paralela», disse a repórter Eduarda Freitas (ou terá sido Ana Felício?) no Jornal da Tarde. E manteve o timbre da vogal tónica, isto é, sem metafonia. Ora, tanto quanto sei, «troços» tem plural metafónico e não é vocábulo alvo de indefinição. Como em tijolos, tortos, tremoços, trocos...

 

[Texto 1566]

Helder Guégués às 23:25 | comentar | favorito
Etiquetas:

«À maravilha»

Às mil maravilhas

 

 

      «Diogo Pires primou entre os humanistas do seu tempo, não lhe faltando servir-se à maravilha dum latim verdadeiramente ciceroniano como instrumento de expressão» (Portugueses das Sete Partidas, Aquilino Ribeiro. Lisboa: Livraria Bertrand, [1951], 3.ª ed., p. 248).

      «Como se está a ver, eu observei que “um ou outro autor português recorre à expressão à maravilha...” Mas adverti que a expressão às mil maravilhas tem sabor mais castiço em nossa fraseologia» (Estudos Críticos de Língua Portuguesa: contra os Gramáticos, Vasco Botelho de Amaral. Porto: edição do autor, 1948, p. 153).

 

 

[Texto 1565]

Helder Guégués às 21:38 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas:

«Cor-de-rosa» no AOLP90

Isso é absurdo

 

 

      «Sobre o artificialismo de escrever cor-de-rosa, mas cor de laranja, considerando aquela uma palavra composta, e dizendo que exprime uma só ideia, o argumento é infantil. Na tradução das cores tanto há uma só ideia em cor de rosa, como em cor de laranja, etc. Dizer, como Sá Nunes diz, que a cor-de-rosa leva hífen, por ter um único sentido, faz supor que em cor de laranja não se verifica a mesma semântica, e isso é absurdo.

      Cor de burro quando foge forma também uma unidade semântica, na ideia una da ironia» (Estudos Críticos de Língua Portuguesa: contra os Gramáticos, Vasco Botelho de Amaral. Porto: edição do autor, 1948, p. 126).

      E ainda hoje continua, absurdamente, a ser assim. Mais um exemplo da falta de ponderação das soluções consagradas no Acordo Ortográfico de 1990.

 

[Texto 1564] 

Helder Guégués às 21:27 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas:
21
Mai 12

Acordo Ortográfico rejeitado

Ora aí está o que se pode fazer

 

 

      «A Associação de Estudantes do Instituto Superior Técnico aprovou quinta-feira em Lisboa uma moção de rejeição do Acordo Ortográfico. A associação irá agora defender também, junto dos órgãos de governo do Técnico, que “nenhum estudante seja prejudicado por recusar escrever segundo o Acordo Ortográfico”. É a primeira associação de estudantes do país a rejeitar oficialmente o acordo» («Estudantes do Técnico contra Acordo Ortográfico», Público, 21.05.2012, p. 12).

      A propósito: amanhã, às 19h50, no programa Nativos Digitais, na RTP2, vai falar-se do Acordo Ortográfico.

 

[Texto 1563]

Helder Guégués às 08:37 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas: