27
Jun 12

Coisas dos dicionários

Ignotíssimo

 

 

       «As duas familiares (a mais velha era mãe solteira de uma criança de ano e meio) perderam a vida num acidente, pelas 00.30, quando seguiam no estradão florestal de Calvão» («Álcool e velocidade excessiva em despiste com três mortos», Júlio Almeida, Diário de Notícias, 27.06.2012, p. 17).

      Um estrangeiro que esteja a aprender a língua consulta, ingenuamente, o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora e que vê? «Estradão: aumentativo, masculino singular de estrado (nome)». Pois é...

      «Graças, porém, a um estradão florestal de construção relativamente recente, a serra oferece acesso fácil até ao limiar dos mil metros» (Alto Douro Ignoto, Sant’Anna Dionísio. Lisboa: Lello Editores, 1973, p. 129).

 

 [Texto 1736]

Helder Guégués às 22:36 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:

«De conta própria»

Era assim

 

 

      «— Já teve..., antes de meu pai se estabelecer de conta própria. Eu ainda lhe não disse o nome do meu pai, chama-se Cruteman» (Novelas Eróticas, M. Teixeira-Gomes. Lisboa: Portugália Editora, s/d [mas de 1961], 2.ª ed., p. 32).

      Se agora escrevemos e dizemos sempre «por conta própria», dantes era quase sempre como se lê na novela de Teixeira-Gomes.

 

 [Texto 1735] 

Helder Guégués às 17:11 | comentar | favorito
Etiquetas:
27
Jun 12

Deste livrámo-nos

Uf...

 

 

      «No carácter geral da cidade havia mais homogeneidade, de modo que a catedral — a incomparável — com as suas naves tenebrosas, onde se acendem as fulgurações dos vitrais; o claustro composto, deduzido, como sinfonia magistralmente orquestrada na série das suas capelas de retábulos polilhados, entrevistos através de vetustíssimas e imaginosas grades de ferro batido; a sua catedral — a única — não dava ainda essa impressão de flagrante anacronismo que depois foi tomando passo a passo, com a abertura das infinitas avenidas rectilíneas, dos esquares geométricos, das vastas praças rectangulares» (Novelas Eróticas, M. Teixeira-Gomes. Lisboa: Portugália Editora, s/d [mas de 1961], 2.ª ed., pp. 120-21).

      Deste lá escapámos, caro Montexto, valha-nos Deus. «Esquare»! Talvez assentasse bem na escrita do cosmopolita e esteta Teixeira-Gomes.

 

 [Texto 1734]

Helder Guégués às 12:28 | comentar | ver comentários (12) | favorito
Etiquetas: