06
Jul 12

Tradução: «luncheonette»

Isso é no Brasil das telenovelas

 

 

      Querem rir-se? Então ouçam: o Dicionário de Inglês-Português da Porto Editora não regista o vocábulo «luncheonette», mas o Dicionário da Língua Portuguesa da mesma editora regista «lanchonete». Já têm fôlego de novo? Pois bem, o Dicionário de Português-Inglês da Porto Editora para «lanchonete» dá como equivalente o português — «snack bar». E não podemos traduzir por «cafetaria»? O Dicionário Michaelis diz que é o restaurante que serve refeições rápidas. Nada de «lanchonete».

 

 [Texto 1776]

Helder Guégués às 22:58 | comentar | ver comentários (5) | favorito
Etiquetas:

Léxico: «tupido»

É uma hipótese

 

 

      «Tanto a cozinha como os quartos eram antigas celas dos frades e abriam para o claustro, o qual tinha uma única entrada e estava tupido de laranjeiras e nespereiras de proporções colossais» (Novelas Eróticas, M. Teixeira-Gomes. Lisboa: Portugália Editora, s/d [mas de 1961], 2.ª ed., p. 209).

      Já tinha visto, já — mas noutra obra de Teixeira-Gomes, talvez em Agosto Azul. A propósito, não virá do castelhano? Fernando Venâncio, que acha? (Ouvi-o hoje na TSF a falar do escritor holandês Gerrit Komrij, que vivia numa aldeia do concelho de Oliveira do Hospital e morreu ontem.)

 

 [Texto 1775]

Helder Guégués às 20:25 | comentar | ver comentários (14) | favorito
Etiquetas:

«Decidimos sentarmo-nos»

Simplificar

 

 

      «Decidimos, já que ali estávamos, sentarmo-nos...» Está bem, exemplos não faltam, pois claro. Ainda há três dias, encontrei: «Como lhe fosse fácil sair de casa logo de manhã cedo, combinámos encontrarmo-nos, no dia seguinte, num café vizinho da Gare Central, e seguir para Dordrecht no primeiro expresso de Berlim que larga às 7 3/4; naquela estação do ano a essa hora ainda era noite, o que nos permitiria embarcar sem dar nas vistas...» (Novelas Eróticas, M. Teixeira-Gomes. Lisboa: Portugália Editora, s/d [mas de 1961], 2.ª ed., p. 51).

 

 [Texto 1774]

Helder Guégués às 18:12 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:

Fala a RP...

Um PR do carnaz

 

 

      De vez em vez é bom falar de coisas sem pés nem cabeça, aparvalhadas, enfim. Neste caso, a abreviatura de «relações públicas», RP, habitualmente usada em certa imprensa. Para quê? Será por causa da semelhança com PR, abreviatura de «presidente da República», talvez das poucas a merecer o mesmo tratamento? Falta de espaço não é, garanto.

      «Helga Barroso, a responsável pela área VIP da discoteca, recusa confirmar a informação do DN. Porém, a relações públicas (RP) deixa no ar, ao dizer: “Sendo o espaço de quem é...”» («CR7 e Irina Shayk são esperados na inauguração de discoteca dia 20», Filomena Araújo, Diário de Notícias, 6.07.2012, p. 53).

 

 [Texto 1773] 

Helder Guégués às 16:52 | comentar | ver comentários (5) | favorito
Etiquetas:

«Organeiro/organista»

Nem todos tangem

 

 

      A senhora professora ficou empolgadíssima porque só conhecia a palavra «organista», não «organeiro». Não descobriu é que não são sinónimos, mas vai lá chegar. Se o organeiro é o construtor de órgãos ou encarregado da limpeza e conservação do órgão de uma igreja, o organista é o que toca órgão, o «tangedor de órgão», como escreve Bluteau.

 

 [Texto 1772]

Helder Guégués às 16:25 | comentar | favorito
Etiquetas:

Léxico: «georradar»

Ainda há margem para errar

 

 

      «O empresário sul-africano contou ao jornal Correio da Manhã que, com recurso a imagens do Google Earth e com um aparelho denominado georradar, localizou o local da alegada sepultura» («PJ analisa “pistas” no caso Maddie», Luís Fontes, Diário de Notícias, 6.07.2012, p. 18).

      Antes e depois do Acordo Ortográfico, é assim que se escreve, porque com este elemento de formação de palavras nunca se usa o hífen: georreferência, geossinclinal.

 

 [Texto 1771] 

Helder Guégués às 12:21 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:
06
Jul 12

Ortografia: «Mindanau»

Quase certo

 

 

      «Apesar de viveram [sic] numa das regiões mais pobres das Filipinas, foi com um sorriso rasgado que as crianças da ilha de Mindanao receberam a Rainha de Espanha» («Rainha Sofia nas Filipinas», Diário de Notícias, 6.07.2012, p. 6).

      Do Diário de Notícias nunca se espera isto, mas é o que vamos tendo cada vez mais. Em português não é Mindanau que se escreve? Que é a grafia registada por Rebelo Gonçalves na página 671 do seu Vocabulário da Língua Portuguesa.

 

 [Texto 1770]

Helder Guégués às 12:08 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: