Dicionário da Academia

Nada entre «compilar» e «compita»

 

 

      Bem cedo, já um escritor amigo me estava a escrever para comunicar a surpresa do dia: o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa não regista o vocábulo «compincha». Bem, é mais uma triste e lamentável falha deste dicionário. Que eu consulto, se tanto, uma vez por ano, e sou um profissional das palavras. Mas, sejamos justos, também o Vocabulário da Língua Portuguesa de Rebelo Gonçalves o não regista.

      «Aprendi com elas: Deus não era punitivo, mas amigo e compincha, as tragédias que fazíamos a respeito de namoros e rupturas eram desproporcionadas, a vaidade era uma patetice e a própria irreverência, quando inteligente, era desculpável» (A Menina É Filha de Quem?, Rita Ferro. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 2011, p. 103).

 

 [Texto 1872] 

Helder Guégués às 08:45 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: