03
Ago 12

Léxico: «microlete»

Isto é novo

 

 

      Sabia que, para chegar ao Parlamento Nacional timorense, pode apanhar a microlete n.º 2? Ah, não sabe o que é uma microlete... Também eu, há cinco minutos, desconhecia a palavra. Que é timorense, sim. Nos nossos dicionários, o mais próximo é microlite, que é um mineral. Veja então aqui uma microlete. Acrescentem, por favor, ao vocabulário ortográfico comum da língua portuguesa.

 

  [Texto 1916]

Helder Guégués às 22:59 | comentar | favorito
Etiquetas:

Concordância

Nada de novo

 

 

      «Mas a ideia da empresa é homogeneizar a sua presença na Internet, demasiado dispersa (daí a decisão de eliminar os produtos com a marca Windows Live). O Outlook torna-se, segundo a Microsoft, “um e-mail moderno desenhado para as próximas mil milhões de caixas de correio”» («Um milhão de pessoas adere ao substituto do Hotmail», Ana Rita Guerra, Diário de Notícias, 3.08.2012, p. 46).

      Então o vocábulo «milhão» agora mudou de género, cara Ana Rita Guerra? Identifique o sujeito da frase, se faz favor.

 

  [Texto 1915]

Helder Guégués às 14:12 | comentar | ver comentários (5) | favorito
Etiquetas:

«Supernorte-americano»

Supernatural

 

 

      O super norte-americano nadou o percurso em 1.54.27 minutos, 63 centésimos à frente de Lochte (detentor do recorde mundial, de 1.54.00) e com quase dois segundos de vantagem sobre o terceiro classificado, o húngaro Laszlo Cseh. [...] Depois desta prova, o super-recordista ainda teve fôlego para bater toda a concorrência nas meias dos 100 m mariposa e entrar para a final de hoje com o melhor tempo dos oito concorrentes (50.86 s)» («Doce vingança para o insaciável Michael Phelps», Rui Frias e Sarah Saint-Maxent, Diário de Notícias, 3.08.2012, p. 31). Estranho? Mais estranho é o que está errado.

 

  [Texto 1914]

Helder Guégués às 14:11 | comentar | favorito
Etiquetas:

Ortografia: «afición»

Mal consolidado

 

 

      «“A estrutura de Pequim era mais espetacular, mas a affición aqui é superior a todas as outras. Têm ligação ao remo através das universidades e colégios e isso percebe-se”, disse ao DN José Garcia, ex-canoísta português (6.º lugar em Barcelona 1992) e adjunto do chefe de Missão para o remo e a canoagem em Londres 2012» («No colégio de 19 primeiros-ministros», Diário de Notícias, 3.08.2012, p. 46).

      Já na semana passada tinha visto este erro numa revisão. É verdade que o étimo tem dois ff, affectĭo — mas eu não tenho a culpa. Qualquer que seja a língua, mas por maioria de razão com as alheias, que conhecemos menos bem, é preciso ter cuidado. Ainda há, apesar da crise, dicionários.

 

  [Texto 1913]

Helder Guégués às 14:03 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:

«Castela-a-Mancha»

Aceite-se

 

 

      «Os dois caucasianos, cujas identidades não foi possível confirmar de imediato por não terem documentos consigo, foram presos na quarta-feira pelas 00.35 em Almuradiel, Ciudad Real, na comunidade de Castela-a-Mancha» («Espanha diz ter travado atentado da Al-Qaeda», Patrícia Viegas, Diário de Notícias, 3.08.2012, p. 20).

      Na página 225 do seu Vocabulário da Língua Portuguesa, Rebelo Gonçalves regista apenas Castela-a-Nova e Castela-a-Velha. É de crer que, se o tivesse registado, seria com a grafia Castela-a-Mancha.

 

  [Texto 1912]

Helder Guégués às 13:49 | comentar | ver comentários (4) | favorito
Etiquetas:
03
Ago 12

«Utreque»

Isto e o contrário

 

 

      «Para o investigador Hugo Snippert, da Universidade de Utrecht, na Holanda, e coautor do estudo publicado hoje na Science, os resultados das três investigações mostram com clareza a existência de uma hierarquia nas células tumorais, em que as células estaminais são as responsáveis pela produção daquelas» («Células estaminais podem ser cancerosas», Filomena Naves, Diário de Notícias, 3.08.2012, p. 24).

      Pensava que tinham optado definitivamente por Utreque, o equivalente vernáculo registado por Rebelo Gonçalves na página 1049 do seu Vocabulário da Língua Portuguesa.

      «Gibraltar foi cedido ao Reino Unido depois da guerra da Sucessão espanhola através do Tratado de Utreque, em 1713, mas a questão continua a gerar atritos até aos dias de hoje» («Príncipe Eduardo visita Gibraltar e irrita Espanha», Catarina Reis da Fonseca, Diário de Notícias, 11.06.2012, p. 19).

 

  [Texto 1911]

Helder Guégués às 11:24 | comentar | ver comentários (5) | favorito
Etiquetas: