31
Out 12

«Congénere de»

Confusões e trocas

 

 

      «A Polícia Judiciária (PJ) foi convidada, esta semana, para participar e colaborar com a Ameripol, Comunidade de Polícias da América (a organização americana congénere à Europol), com o estatuto de observador» («PJ com papel de observador na união de polícias americanas», A. T., Diário de Notícias, 29.10.2012, p. 20).

      Como é? «Congénere à»? Há-de ser cruzamento de «semelhante à» com «congénere de». Tem é de se rever mais de uma vez aquilo que se escreve, sobretudo se vivemos disso.

 

[Texto 2269]

Helder Guégués às 21:20 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas:

Uso da maiúscula

Porque a nossa é mais pequena...

 

 

      «Christopher O’Neill [noivo da princesa Madalena da Suécia] exerce funções na Bolsa de Nova Iorque e descende de uma família abastada dos EUA» («Madalena está noiva e casa-se no verão de 2013», Diário de Notícias, 26.10.2012, p. 53).

     «A bolsa de Lisboa encerrou a primeira sessão da semana em terreno negativo, a acompanhar as perdas registadas pelas pares europeias, pressionada pelos títulos do sector financeiro e pelo pesos-pesados» («Grécia e ‘Sandy’ assustam bolsas», Diário de Notícias, 30.10.2012, p. 35).

 

[Texto 2268]

Helder Guégués às 08:12 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas:
31
Out 12

Léxico: «gearing»

Temos de saber

 

 

      «Em Portugal, o Pingo Doce e o Recheio, apesar da envolvente muito difícil, continuaram a reforçar as respetivas quotas de mercado. O resultado líquido consolidado cresceu 6,2%, atingindo 271,5 milhões de euros. O cash flow gerado, após investimento, foi de 147,1 milhões de euros. A dívida líquida consolidada cifrou-se em 251,8 milhões de euros e o gearing foi de 16,0% no final de setembro» («Jerónimo Martins ganha na Polónia», Diário de Notícias, 26.10.2012, p. 31).

      Temos de saber inglês e economia. «Gearing é», leio no sítio da Deco Proteste, «o rácio entre o endividamento da empresa (dívida financeira) e os seus capitais próprios. Um gearing elevado é, em regra, um sinal de maior risco.»

 

[Texto 2267]

Helder Guégués às 08:10 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas:
30
Out 12

Tradução: «tile»

Combinem melhor

 

 

      «Depois das janelas, os mosaicos. A Microsoft deixou cair tudo o que era confortável no Windows e reinventou o seu sistema operativo, transformando-o em algo fluido e adaptado às expectativas de consumidores habituados a ecrãs táteis. O Windows 8 é lançado hoje em todo o mundo e traz uma vaga de novos computadores, incluindo portáteis com ecrã tátil e tablets que se convertem em portáteis» («Windows 8 é a mais ambiciosa reinvenção da Microsoft», Ana Rita Guerra, Diário de Notícias, 26.10.2012, p. 32). Num texto de apoio, lê-se: «Redesenho total, com interface organizada em torno de “telhas” (tiles) e mais parecida com os ambientes de smartphones e tablets.»

 

[Texto 2266]

Helder Guégués às 16:20 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas:
30
Out 12

«Procuradoria Anticorrupção»

Vamos esperar

 

 

      «O ex-presidente do grupo Bankia e ex-diretor-geral do Fundo Monetário Internacional Rodrigo Rato vai ser ouvido no próximo dia 20 de dezembro na Audiência Nacional espanhola imputado na queixa sobre o processo de nacionalização daquela entidade bancária. [...] O juiz Fernando Andreu adotou a decisão depois de a Procuradoria Anticorrupção ter apresentado um texto a favor da queixa que a União Progresso e Democracia (UPyD) entregou por burla e outros delitos contra todos os membros do conselho de administração da Bankia e da sua holding, a BFA» («Rato ouvido na Audiência Nacional», Diário de Notícias, 26.10.2012, p. 26).

      Procuradoria Anticorrupção. Pois bem, aqui e aqui, como vimos, usaram a locução «fiscal anticorrupção». Ainda há esperança. «Imputado» também já nos passou sob os olhos, e foi aqui.

 

[Texto 2265] 

Helder Guégués às 16:12 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas:
29
Out 12

Léxico: «melada»

Não chegam lá

 

 

       «Desde 2008 que o mel de rosmaninho, de urze, de castanheiro e de melada de carvalho, obtido por métodos totalmente biológicos da BioApis tem sido distribuído pelo País como produto gourmet. Ao sucesso da empresa não será alheia a paixão que Jorge Fernandes, engenheiro agrónomo na Universidade de Trás os Montes [sic] e Alto Douro, em Vila Real, coloca no métier» («Abelhas de Trás-os-Montes batem concorrentes orientais», José António Cardoso, Diário de Notícias, 27.10.2012, p. 14).

      Para o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, «melada» é «a produção de mel de uma época». No contexto, não é. Os Afídeos — pulgões e outros insectos —  alimentam-se da seiva das plantas e expelem grandes quantidades de açúcares que se acumulam sobre a folhagem — é a essa substância açucarada que se dá o nome de melada (e honeydew em inglês). É uma excreção, ia escrever, mas o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora não deixa, pois afirma que excreção é a «função que tem por fim eliminar de um organismo produtos de desassimilação»...

 

[Texto 2264]

Helder Guégués às 22:59 | comentar | ver comentários (3) | favorito | partilhar
Etiquetas:
29
Out 12

Ortografia: «braço direito»

Não o real, o outro

 

 

      «Já Ana, para além de ser o braço direito da diretora, é uma mulher fatal que sonha ser atriz» («Nova ‘sitcom’ brinca com o jornalismo e a crise», Cynthia Valente, Notícias TV, n.º 250, p. 27).

      Bem diz Montexto: sempre mais compridos e complicados, isto é, o pior do barroco. E, para distinguir o sentido denotativo do conotativo, não se escreve, neste caso, «braço-direito»? Não há tempo para aperfeiçoar...

 

[Texto 2263]

Helder Guégués às 22:01 | comentar | ver comentários (41) | favorito | partilhar
Etiquetas: