31
Out 12

«Congénere de»

Confusões e trocas

 

 

      «A Polícia Judiciária (PJ) foi convidada, esta semana, para participar e colaborar com a Ameripol, Comunidade de Polícias da América (a organização americana congénere à Europol), com o estatuto de observador» («PJ com papel de observador na união de polícias americanas», A. T., Diário de Notícias, 29.10.2012, p. 20).

      Como é? «Congénere à»? Há-de ser cruzamento de «semelhante à» com «congénere de». Tem é de se rever mais de uma vez aquilo que se escreve, sobretudo se vivemos disso.

 

[Texto 2269]

Helder Guégués às 21:20 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas:

Uso da maiúscula

Porque a nossa é mais pequena...

 

 

      «Christopher O’Neill [noivo da princesa Madalena da Suécia] exerce funções na Bolsa de Nova Iorque e descende de uma família abastada dos EUA» («Madalena está noiva e casa-se no verão de 2013», Diário de Notícias, 26.10.2012, p. 53).

     «A bolsa de Lisboa encerrou a primeira sessão da semana em terreno negativo, a acompanhar as perdas registadas pelas pares europeias, pressionada pelos títulos do sector financeiro e pelo pesos-pesados» («Grécia e ‘Sandy’ assustam bolsas», Diário de Notícias, 30.10.2012, p. 35).

 

[Texto 2268]

Helder Guégués às 08:12 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas:
31
Out 12

Léxico: «gearing»

Temos de saber

 

 

      «Em Portugal, o Pingo Doce e o Recheio, apesar da envolvente muito difícil, continuaram a reforçar as respetivas quotas de mercado. O resultado líquido consolidado cresceu 6,2%, atingindo 271,5 milhões de euros. O cash flow gerado, após investimento, foi de 147,1 milhões de euros. A dívida líquida consolidada cifrou-se em 251,8 milhões de euros e o gearing foi de 16,0% no final de setembro» («Jerónimo Martins ganha na Polónia», Diário de Notícias, 26.10.2012, p. 31).

      Temos de saber inglês e economia. «Gearing é», leio no sítio da Deco Proteste, «o rácio entre o endividamento da empresa (dívida financeira) e os seus capitais próprios. Um gearing elevado é, em regra, um sinal de maior risco.»

 

[Texto 2267]

Helder Guégués às 08:10 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas:
30
Out 12

Tradução: «tile»

Combinem melhor

 

 

      «Depois das janelas, os mosaicos. A Microsoft deixou cair tudo o que era confortável no Windows e reinventou o seu sistema operativo, transformando-o em algo fluido e adaptado às expectativas de consumidores habituados a ecrãs táteis. O Windows 8 é lançado hoje em todo o mundo e traz uma vaga de novos computadores, incluindo portáteis com ecrã tátil e tablets que se convertem em portáteis» («Windows 8 é a mais ambiciosa reinvenção da Microsoft», Ana Rita Guerra, Diário de Notícias, 26.10.2012, p. 32). Num texto de apoio, lê-se: «Redesenho total, com interface organizada em torno de “telhas” (tiles) e mais parecida com os ambientes de smartphones e tablets.»

 

[Texto 2266]

Helder Guégués às 16:20 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas:
30
Out 12

«Procuradoria Anticorrupção»

Vamos esperar

 

 

      «O ex-presidente do grupo Bankia e ex-diretor-geral do Fundo Monetário Internacional Rodrigo Rato vai ser ouvido no próximo dia 20 de dezembro na Audiência Nacional espanhola imputado na queixa sobre o processo de nacionalização daquela entidade bancária. [...] O juiz Fernando Andreu adotou a decisão depois de a Procuradoria Anticorrupção ter apresentado um texto a favor da queixa que a União Progresso e Democracia (UPyD) entregou por burla e outros delitos contra todos os membros do conselho de administração da Bankia e da sua holding, a BFA» («Rato ouvido na Audiência Nacional», Diário de Notícias, 26.10.2012, p. 26).

      Procuradoria Anticorrupção. Pois bem, aqui e aqui, como vimos, usaram a locução «fiscal anticorrupção». Ainda há esperança. «Imputado» também já nos passou sob os olhos, e foi aqui.

 

[Texto 2265] 

Helder Guégués às 16:12 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas:
29
Out 12

Léxico: «melada»

Não chegam lá

 

 

       «Desde 2008 que o mel de rosmaninho, de urze, de castanheiro e de melada de carvalho, obtido por métodos totalmente biológicos da BioApis tem sido distribuído pelo País como produto gourmet. Ao sucesso da empresa não será alheia a paixão que Jorge Fernandes, engenheiro agrónomo na Universidade de Trás os Montes [sic] e Alto Douro, em Vila Real, coloca no métier» («Abelhas de Trás-os-Montes batem concorrentes orientais», José António Cardoso, Diário de Notícias, 27.10.2012, p. 14).

      Para o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, «melada» é «a produção de mel de uma época». No contexto, não é. Os Afídeos — pulgões e outros insectos —  alimentam-se da seiva das plantas e expelem grandes quantidades de açúcares que se acumulam sobre a folhagem — é a essa substância açucarada que se dá o nome de melada (e honeydew em inglês). É uma excreção, ia escrever, mas o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora não deixa, pois afirma que excreção é a «função que tem por fim eliminar de um organismo produtos de desassimilação»...

 

[Texto 2264]

Helder Guégués às 22:59 | comentar | ver comentários (3) | favorito | partilhar
Etiquetas:

Ortografia: «braço direito»

Não o real, o outro

 

 

      «Já Ana, para além de ser o braço direito da diretora, é uma mulher fatal que sonha ser atriz» («Nova ‘sitcom’ brinca com o jornalismo e a crise», Cynthia Valente, Notícias TV, n.º 250, p. 27).

      Bem diz Montexto: sempre mais compridos e complicados, isto é, o pior do barroco. E, para distinguir o sentido denotativo do conotativo, não se escreve, neste caso, «braço-direito»? Não há tempo para aperfeiçoar...

 

[Texto 2263]

Helder Guégués às 22:01 | comentar | ver comentários (41) | favorito | partilhar
Etiquetas:

Ortografia: «eldorado»

Mas está nos dicionários

 

 

      «Com o País em crise, houve quem encontrasse na China o seu eldourado. Produtos portugueses como vinho, azeite, charcutaria, mel e até... arroz estão a fazer sucesso do outro lado do mundo. Tanto que nos primeiros oito meses do ano, Portugal exportou bens no valor de 821,5 milhões de euros, de acordo com as estatísticas chinesas citadas pelo embaixador em Pequim, José Tadeu Soares» («Já vendemos arroz e mel para a China», Ana Bela Ferreira, Diário de Notícias, 27.10.2012, p. 14).

      Cara Ana Bela Ferreira, então não é eldorado que se escreve? «El, lo, la são formas arcaicas do artigo definido, usadas no período em que o português se estava formando. El é hoje apenas empregado em el-rei (= o rei) e Eldorado (região fantástica situada entre o rio Amazonas e o rio Orenoco)» (Gramática Metódica da Língua Portuguesa, Napoleão Mendes de Almeida. São Paulo: Edição Saraiva, 1973, 24.ª ed., p. 115).


[Texto 2262]

Helder Guégués às 21:30 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas:
29
Out 12

«Pôr em marcha»

Saramago foi o último

 


      Pôr é para esquecer. Pelo menos nos próximos anos. «Colocar em marcha o novo mapa judiciário, que reduz para 23 as atuais 231 comarcas, vai custar cerca de 29 milhões de euros. A reforma da organização judiciária em curso, que deverá entrar em vigor ainda durante 2013, implica obras de adaptação em vários edifícios» («Novo mapa judiciário vai custar 29 milhões», Licínio Lima, Diário de Notícias, 29.10.2012, p. 18).

      «Quero-os aqui em três quartos de hora, às dez em ponto, disse, teremos de discutir, aprovar e pôr em marcha os paliativos necessários para minorar as confusões e balbúrdias de toda a espécie que a nova situação inevitavelmente criará nos próximos dias» (As Intermitências da Morte, José Saramago. Lisboa: Bis/Leya, 2011, 4.ª ed., p. 114).

 

[Texto 2261] 

Helder Guégués às 17:56 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: