13
Nov 12

Léxico: «saial»

O homem tinha razão

 

 

      Debaixo do saial, há al. Conhecem este provérbio? Ah, não conhecem... O que sei é que o antiquário disse que aquela mesa de encostar de pau-santo tinha saial talhado. O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora no verbete «saial» só regista uma acepção: «Antiga vestimenta grosseira para os dois sexos.» Entretanto, podem anotar na margem da página. 

      «O saial em talha vazada é decorado com motivos em S e em gancho, terminando por bilros» (O Paço Ducal de Vila Viçosa, Sua Arquitectura e Suas Colecções, José Teixeira. Lisboa: Fundação Casa de Bragança, 1983, p. 199).

 

[Texto 2318]

Helder Guégués às 21:37 | comentar | ver comentários (6) | favorito
Etiquetas:

É um facto

O AOLP explicado aos maluquinhos

 

 

      «Qual será a razão para um escrevente, falante de português europeu e utilizador, por imitação, por gosto ou por imposição, do Acordo Ortográfico de 1990 (AO90) não grafar o C de facto? Por exemplo: “união de fato”. Sim, de fato. Quem diz “união de fato”, poderá também dizer “pressupostos de fato e de direito”, “alterações de fato e de direito”, “razões de fato e de direito”, “fundamentos de fato e de direito” ou “situações de fato...”. E de direito. De fato e de direito. Até mesmo “fatos imputáveis”» («Contra fatos: os argumentos», Francisco Miguel Valada, Público, 13.11.2012, p. 55).

      Há muito que alertei para esta estupidez. No texto de Francisco Miguel Valada, só não percebo a enumeração — que o autor parecia querer, para nosso desespero, exaustiva — de expressões em que o termo «facto» figura. É concebível que o «escrevente, falante de português europeu e utilizador, por imitação, por gosto ou por imposição, do Acordo Ortográfico de 1990 (AO90)» umas vezes escreva «fato» e outras «facto» para exprimir a mesma ideia? O que me parece é que isto é tudo tão absurdo, que não precisamos de caricaturas ou especulações crípticas.

 

[Texto 2317]

Helder Guégués às 11:41 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas:

Ortografia: «craniofacial»

Não lhes liguem...

 

 

      «Ronaldo foi dispensado da viagem ao Gabão por causa dum [sic] traumatismo cranio-facial», lia-se na legenda da respectiva notícia no Telejornal de ontem, às 20h42. Errado. Escreve-se craniofacial.

 

[Texto 2316]

Helder Guégués às 11:10 | comentar | favorito
Etiquetas:
13
Nov 12

Borbom

Vai sendo tradição

 

 

      «Mas uma pequena falha de comunicação entre os serviços jurídicos da Casa Real e os assessores da infanta fez que a irmã de Felipe de Borbom tivesse, agora, o fisco à perna. Enquanto a Casa Real espanhola esperava que os assessores jurídicos de Elena declarassem o fim da atividade da empresa, o mesmo se passou com os funcionários da Infanta. “A sociedade nunca foi liquidada”, confirmou um porta-voz da Casa Real ao jornal espanhol, admitindo: “Cometemos um erro” («Infanta Elena deve 510 euros às Finanças», Márcia Gurgel, Diário de Notícias, 13.11.2012, p. 53).

 

[Texto 2315]

Helder Guégués às 11:09 | comentar | favorito
Etiquetas: