29
Nov 12

Léxico: «feijão-mungo»

Nutritivos

 

 

      Hoje comprei rebentos de feijão mungo no supermercado, para fazer com ravióis. É o que se lia na embalagem, e eu pensei logo que havia de ser designação mal traduzida do inglês: mung beans sprouts... Engano o meu: está na honestíssima Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira (vol. 11, p. 28): feijão-mungo, nome vulgar do Phaseolus mungo Lin., também conhecido como feijão-do-congo. Não está no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora.

 

[Texto 2380]

Helder Guégués às 21:46 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:

«Catarense»/«catariano»

Seria melhor

 

 

      «Há ainda outros dois trunfos que reforçam a esperança do xeque do Qatar. Uma delas é a amizade entre Mourinho e o presidente do Paris Saint-Germain, o também catari Nasser Al-Khelaifi, que numa entrevista recente ao jornal espanhol Marca desfez-se em elogios a Mourinho. “É muito inteligente e está a fazer um grande trabalho em Madrid”, disse» («PSG seduz José Mourinho com oferta estratosférica», Carlos Nogueira e Madalena Esteves, Diário de Notícias, 29.11.2012, p. 37).

      Está longe de ser português, como salta à vista. O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora regista catariano, que remete para catarense.

 

[Texto 2379]

 

Helder Guégués às 12:58 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas:

Como se escreve nos jornais

Está na hora de mudar de jornal

 

 

      «A ausência do Presidente da Rússia, Vladimir Putin, durante as últimas semanas na comunicação social causou estranheza e especulação entre a população, com o chefe de Estado a vir ontem explicar-se: Putin, 60 anos feitos em maio e cinturão negro em judo, garantiu ter-se magoado num combate, tendo lesionado-se na coluna, o que lhe tem provocado dores nas costas» («Putin lesiona coluna no judo», Diário de Notícias, 29.11.2012, p. 26).

 

[Texto 2378]

Helder Guégués às 12:56 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:

Aspas escusadas

Pecha muito vista

 

 

      «Tanto ela [Ana Saltão] como o marido tinham ido ao funeral da octogenária assassinada, cerimónias que decorreram este sábado. Mas, apesar de estar habituada e ter conhecimentos técnicos sobre como ‘ler’ cenários de crime, a inspetora terá cometido alguns deslizes, cruciais para o sucesso desta investigação. A arguida, de 36 anos, natural da Figueira da Foz, estava de baixa médica devido a uma intervenção cirúrgica» («Inspetora da PJ recusa explicar porque matou», Paula Carmo, Diário de Notícias, 29.11.2012, p. 19).

      Não interessa se é um sentido principal ou um sentido figurado — não precisa das aspas.

 

[Texto 2377]

Helder Guégués às 12:55 | comentar | favorito
Etiquetas:

Ortografia: «inclusive»

Para a próxima

 

 

      «Ao longo dos meses, a investigação conseguiu também reunir muitas outros tipo de prova, nomeadamente através da vigilância realizada tanto na Sé como junto às habitações. O agente em causa foi inclusivé visto a sair da casa de Aurélio, pertencente ao grupo de detidos e que está em prisão domiciliária à espera de ser julgado por tráfico de droga. Terá avisado os restante detidos de rurgas agendadas e terá inclusivé reunido com os advogados dos indivíduos. Nos autos constam ainda escutas telefónicas onde [sic] o polícia participa» («Chefe da PSP que avisava traficantes fica em preventiva», A. T., Diário de Notícias, 29.11.2012, p. 19).

      Pode ler-se assim, pode, mas não se escreve dessa forma, pois trata-se de uma palavra grave.

 

[Texto 2376]

Helder Guégués às 12:48 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:

Como se escreve nos jornais

Não é para aqui

 

 

      «Depois de várias negas, Ana Filipa [Miranda] apresenta-nos o primeiro classificado. Certamente um dos poucos que não terá sofrido ataques de ansiedade» («Cardiologia e neurocirurgia no topo das escolhas de novos médicos», Diana Mendes, Diário de Notícias, 29.11.2012, p. 17).

      «Negas»... Tanto informalismo ficava melhor numa conversa à esquina, entre amigos, a jornalista deve saber isso.

 

[Texto 2375]

Helder Guégués às 12:47 | comentar | favorito
Etiquetas:
29
Nov 12

Como se escreve nos jornais

Não era necessário

 

 

      «Já o juiz presidente tentou, sem sucesso, que Anabela Moreira fizesse um esforço de memória ao listar algumas das célebres prendas enviadas por Manuel Godinho por alturas do Natal apreendidas pela PJ na residência de José Penedos» («MP passou rasteira a ex-secretária de José Penedos», Júlio Almeida, Diário de Notícias, 29.11.2012, p. 12).

      Listar é, mais propriamente, pôr em lista, inscrever, alistar; catalogar. Creio que nenhuma se adequa ao contexto. Não seria melhor «enumerar» ou «mencionar»? E, se escrevem «juiz-conselheiro», não deviam escrever «juiz-presidente»?

 

[Texto 2374]

Helder Guégués às 12:37 | comentar | favorito
Etiquetas: