25
Dez 12

Sobre «seta»

De cachafrito

 

 

      Também no Jornal da Tarde, o jornalista João Ricardo de Vasconcelos fez uma reportagem no Restaurante Zé Calha, em Marvão, vila alentejana lá no topo da serra do Sapoio onde decorre, até dia 30, a Quinzena Gastronómica da Caça. Um dos pratos era lombo de veado com setas. O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora regista o termo «seta» nesta acepção como regionalismo: «cogumelo comestível». Mais um castelhanismo. Para o dicionário da Real Academia Espanhola, seta é «cualquier especie de hongo, comestible o no, con forma de sombrilla, sostenida por un pedicelo».

      Nesta 2.ª Quinzena Gastronómica da Caça, também se pode comer um bom coelho bravo de cachafrito — invenção alentejana e termo que também não anda pelos dicionários.

 

[Texto 2461]

Helder Guégués às 08:31 | comentar | favorito
Etiquetas:
25
Dez 12

«Filhós de canudo»

Que canudo

 

 

      Já tinha ouvido na Antena 1 e, no Jornal da Tarde, vi uma reportagem da jornalista Helena Figueiras sobre as filhós de canudo do Algarve. A entrevistada disse que tinha ali a «calda para alfelar as filhós», mas a jornalista não deixou passar: «Está-me aí a dizer verbos que eu desconheço. Mel para quê?» De facto, não está dicionarizada, mas pelo contexto percebia-se muito bem. Alfelar é passar os doces, neste caso as filhós, por uma calda feita com mel, água, açúcar amarelo, limão e canela. Os dicionários só registam «alféloa» (massa de açúcar em ponto com que se fazem vários doces) e «alfeleiro» (aquele que faz ou vende alféloa). Comum às reportagens da rádio e da televisão foi terem dito que o nome destas filhós é «uma homenagem ao tempo em que eram estendidas com uma cana». Será? Ora, se estas filhós são confeccionadas com tiras de massa que se enrolam quando se fritam, o nome não evocará precisamente esta forma? É que o étimo de «canudo» significa «semelhante a cana». A cana mais grossa para fazer as vezes do tradicional rolo de madeira usar-se-ia antigamente para muitos outros tipos de filhós, e não somente para este.

 

[Texto 2460]

Helder Guégués às 08:28 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: