«Na qualidade de»

«Não há remédio senão usá-la»?

 

 

      «NA QUALIDADE DE. Tal modo de dizer recebêmo-lo de França. Mais natural é o emprêgo de como, nas funções de, ou, com circunlóquio, exercendo (eu, êle, etc.) o cargo de, etc. Camilo lançou mão da locução pouco ou nada vernácula:

 

          na qualidade de conselheiro de estado e guerra...”

 

                                                  (Luta de Gigantes, 168).

 

          “na qualidade de capitão-geral do reino...”

 

                                                  (Luta de Gigantes, 220).

 

    Claro que, se a imprópria expressão ganhar raízes, não há remédio senão usá-la. Mas cumpre não esquecer ou não postergar as equivalentes portuguesas» (Estudos Vernáculos, Vasco Botelho de Amaral. Porto: Editora Educação Nacional, 1938, p. 43).

 

[Texto 2765]

Helder Guégués às 16:01 | comentar | ver comentários (7) | favorito
Etiquetas: