18
Abr 13

Sobre «consultar»

A vingança

 

 

      Queria consultar de novo, disse ao telefone, a Dra. X. Risinho divertido do lado de lá. «A Sr. Dra. é que poderá consultar o Sr.» A mim? Para quê? Não tenho nenhum conselho, opinião ou instrução para lhe dar ou vender. E, ao contrário do que vai sendo habitual, não me atendeu um segurança ou uma simples assistente. Não. «Bom dia, fala a enfermeira Y.»

      «O barão ouviu-o com semblante alegre. Interessavam-lhe as miudezas daquela metamorfose. Queria saber se os médicos julgavam curável a paralisia de Leonor. Se o cego tio de Soares queria ir a França consultar os oculistas célebres» (Vingança, Camilo Castelo Branco. Lisboa: Livros Horizonte, 1981, p. 126).

 

[Texto 2767]

Helder Guégués às 09:29 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas:
18
Abr 13

Como se escreve nos jornais

Comentários para quê?

 

 

      «As especialidades de reumatologia, hemodiálise e cirurgia maxilo-facial não têm aparente relação entre si, mas, no hospital de Braga, é o mesmo médico quem as dirige. [...] O clínico em causa é Fernando Pardal, que está inscrito na Ordem dos Médicos como especialista em Anatomia Patológica. Por isso, o director clínico é há vários anos o responsável pela direcção deste serviço médico no hospital. Mas a esta competência o médico acrescenta responsabilidades sobre os serviços de cirurgia-maxilofacial, genética médica, imuno-alergologia, nefrologia (hemodiálise), reumatologia e doenças infecciosas. [...] No caso de cirurgia maxilofacial, por exemplo, o serviço está subcontratado a outros médicos de unidades do Serviço Nacional de Saúde, nomeadamente do Hospital de Santo António, no Porto, face à dificuldade da unidade bracarense em encontrar especialistas para estas áreas no mercado» («Médico acumula direcção de sete especialidades no hospital de Braga», Samuel Silva, Público, 17.04.2013, p. 14).

 

[Texto 2766]

 

Helder Guégués às 09:16 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: