23
Mai 13

«De encontro a/ao encontro de»

Sempre ao contrário

 

 

      Cecília Meireles, deputada do CDS: «Estas medidas vêm no momento possível, que é um momento que é difícil do ponto de vista da economia portuguesa, dos trabalhadores e das empresas e por isso mesmo são ainda mais necessárias e vêm de encontro àquilo que o CDS sempre defendeu.» Parece o falar trocado de outros tempos.

 

[Texto 2876]

Helder Guégués às 22:47 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas:

Sobre «dramático»

Comovente

 

 

      «Nos estaleiros da Navaltagus, no Seixal, o Trafaria Praia sofreu mudanças dramáticas: o interior tem uma instalação têxtil em tons de azul que evoca a experiência do útero; no exterior, o barco será revestido com uma imagem inspirada pelo Grande Panorama de Lisboa (guardado no Museu do Azulejo, na capital), datado do primeiro quartel do século XVIII [...]» («Cortejo no Tejo para cacilheiro de Joana Vasconcelos», S. S. C., Visão, 2.05.2013, p. 11).

      Agora, para escreverem três linhas em português, pensa-se como se escreveria em inglês e traduz-se — mal. Dramático, sim.

 

[Texto 2875]

Helder Guégués às 17:25 | comentar | ver comentários (2) | favorito

«Coincidir», uma acepção

Não se usa muito

 

 

      «Eu coincido com a sua análise. O País está bloqueado», disse António José Seguro a propósito das opiniões de Jorge Sampaio, entrevistado hoje na Antena 1. Não é de uso muito corrente esta acepção do verbo «coincidir (com»), que significa «concordar (com)».

      «Se neste ponto coincidimos com a “hipótese de trabalho” sugerida por Nuno Espinosa Gomes da Silva — e que referimos no número anterior desta nota —, já outro tanto não sucede quando este se mostra propenso a crer que “ambas [as edições] constituem impressão de um mesmo texto, confiado a dois diferentes impressores”» (Obras Esparsas, Vol. II, Guilherme Braga da Cruz. Coimbra: Universidade de Coimbra, p. 324).

 

[Texto 2874]

Helder Guégués às 17:09 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:

Símbolos de minuto e de segundo

Desalinhados

 

 

      Já todos vimos, referido a filmes, que têm tantos minutos e segundos, e os supostos símbolos: 44' 25". A cores, a preto-e-branco. Tudo muito bonito. Acontece, porém, que esses símbolos, chamados plicas ou linhas, dizem respeito a unidades de medida de ângulo plano e não a unidades de tempo. Convenção ou distracção? Há convenções contra outras convenções?

 

[Texto 2873]

Helder Guégués às 16:49 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas:
23
Mai 13

Plural de «sopro»

São 80 euros da consulta

 

 

      O cardiologista pediátrico António Macedo esteve ontem no Bom Dia Portugal para falar de sopros no coração. O jornalista João Tomé de Carvalho começou por dizer: «Quarenta por cento das crianças saudáveis têm um sopro no coração. Este é de resto o motivo da maioria das consultas pediátricas.» O que foi logo desmentido pelo convidado: «Não há manifestações, é um dado auscultatório.» E como 90 e muitos por cento são sopros inocentes, está-se mesmo a ver que isto não é problema nenhum, mas alguém quer que seja. A meu ver, o único problema é o médico não saber pronunciar bem o plural de «sopro», que não é /sòpros/, como ele repetidamente disse. «Sopros» não é um plural metafónico — é /sôpros/.

 

[Texto 2872]

Helder Guégués às 08:53 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: