18
Jun 13

Tradução: «peer review»

Merece pois

 

 

      «Porn Studies é a primeira revista académica com revisão pelos pares dedicada ao estudo da pornografia, e as directoras são as professoras em instituições britânicas Clarissa Smith (Sunderland University) e Feona Attwood (Middlesex University)» («Petição contra revista sobre pornografia», Joana Gorjão Henriques, Público, 18.06.2013, p. 31).

      Devia ser o normal, mas, como não é, é preciso elogiar que a jornalista não use a expressão inglesa correspondente, peer review ou refereeing.

 

[Texto 2988]

Helder Guégués às 13:05 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:

Mais inglês

Fica demonstrado

 

 

      «É mais um episódio das revelações feitas por Edward Snowden, o whistleblower que passou documentos internos da Agência de Segurança Interna dos EUA ao jornal britânico Guardian. Desta vez, os documentos secretos mostram que políticos e outros responsáveis que participaram em 2009 na cimeira do G20 em Londres foram espiados por agentes britânicos» («Londres terá “espiado” reunião do G20 em 2009», Público, 18.06.2013, p. 25).

      Eu não disse ainda hoje? Se puderem, enfiam uma palavra inglesa. Whistleblower significa simplesmente informador, delator, bufo. Com o seu uso, o jornalista demonstra que sabe copiar as palavras que encontra na imprensa anglo-saxónica. Algo que a minha filha, graças a Deus pré-escolarizada, também sabe fazer. E as aspas em «espiado», no título, deixam-nos a pensar.

 

[Texto 2987] 

Helder Guégués às 12:51 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas:

Léxico: «redução»

Algo novo

 

 

      «A par da crescente adesão ao novo sistema, rapidamente se comprovou também que não seria adaptável aos vinhos de qualidade, sobretudo aos que se destinam ao envelhecimento em garrafa. Além de que mesmo os vinhos mais simples destinados ao consumo imediato apresentavam desagradáveis aromas de redução» («Amorim cria rolha com rosca para ganhar mercado às tampas metálicas», José Augusto Moreira, Público, 18.06.2013, p. 21).

      «Trata-se», pode ler-se aqui, «do fenômeno inverso ao da oxidação. São reações químicas que se desenvolvem em ambientes livres de oxigênio. No caso do vinho, quando se aponta que está “reduzido”, ou com “aroma de redução”, significa que compostos sulfúricos indesejáveis foram produzidos.» Parece ser a 14.ª acepção do verbete no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora: «(química) processo químico em que o oxigénio é eliminado de um composto».

 

[Texto 2986] 

Helder Guégués às 12:06 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas:
18
Jun 13

Inglês, sempre que podem

Já a minha avó dizia

 

 

      «A Corticeira Amorim e a vidreira americana Owens-Illinois (O-I), líderes mundiais nos respectivos sectores, acabam de apresentar ao mercado global uma solução com a qual pensam acabar com a discussão entre a utilização da tradicional rolha de cortiça ou, em alternativa, das modernas tampas de rosca metálicas (popularizadas pelo termo inglês screwcap) no engarrafamento de vinhos» («Amorim cria rolha com rosca para ganhar mercado às tampas metálicas», José Augusto Moreira, Público, 18.06.2013, p. 21).

      A propósito ou a despropósito, os jornalistas gostam de enfiar um ou dois termos ingleses no meio da prosa que vão produzindo. Salvo melhor opinião, ao leitor não interessa que tampa de rosca se diga screwcap em inglês. Ou é só porque está envolvida uma empresa norte-americana, a Owens-Illinois, aliás, a O-I? Popularizadas, francamente.

 

[Texto 2985]

Helder Guégués às 11:43 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: