11
Out 13

«Voluptuário/sumptuário»

Vamos recorrer

 

 

      «As juízas do Tribunal da Relação que analisaram o caso invocam os elevados montantes despendidos em “gastos totalmente voluptuários e despropositados (perfumes, charutos, aluguer de Porches [sic], refeições e vinhos de preços escandalosos)” para concluírem que, mesmo que tivessem sido devidamente autorizadas, essas autorizações “ofenderiam os bons costumes enquanto valoração do social e moralmente aceitável, tendo em conta a gravidade dos factos”» («Gastos “voluptuários” do maestro Graça Moura não foram desculpados», Ana Henriques, Público, 11.10.2013, p. 6).

     Voluptuário é o relativo à voluptuosidade, ao prazer — mas há prazeres gratuitos. Em iguais circunstâncias, costuma falar-se em gastos sumptuários, isto é, em que há grande luxo.

 

  [Texto 3377]

Helder Guégués às 06:46 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas:

Tradução: «Indian summer», de novo

Estamos quase na época

 

 

      «Finalmente, decorrido o mês de Setembro, o tempo muda e surge um Verão de S. Martinho que por vezes se prolonga até ao Natal» (A Sangue Frio, Truman Capote. Tradução de Maria Isabel Braga. Lisboa: Livros do Brasil,  s/d (1978?), p. 20).

      E no original? «At last, after September, another weather arrives, an Indian summer that occasionally endures until Christmas.» Já nos tínhamos ocupado desta questão aqui no Linguagista porque — lembram-se? — alguém traduziu por «Verão índio»…

 

  [Texto 3376]

Helder Guégués às 06:33 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:

O Sr. Clutter e todos os Clutters

Nem todos ignoram

 

 

      O Sr. Clutter, a Sra. Clutter, os filhos... «A família Rupp era católica e os Clutters metodistas, facto este que bastaria para tirar aos dois jovens quaisquer ilusões quanto a um futuro casamento» (A Sangue Frio, Truman Capote. Tradução de Maria Isabel Braga. Lisboa: Livros do Brasil,  s/d (1978?), p. 18).

 

  [Texto 3375]

Helder Guégués às 06:25 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas:
11
Out 13

Tradução: «whipcord»

Precisamos de um alfaiate

 

 

      «No entanto, enquanto se barbeava, tomava chuveiro e envergava as calças de veludo canelado, o casaco de cabedal fino de vaqueiro e as botas guarnecidas de esporas sem roseta; não receava acordá-la porque dormiam separados» (A Sangue Frio, Truman Capote. Tradução de Maria Isabel Braga. Lisboa: Livros do Brasil,  s/d (1978?), p. 18).

      Ora, no original, lê-se o seguinte: «However, while Mr. Clutter was shaving, showering, and outfitting himself in whipcord trousers, a cattleman’s leather jacket, and soft stirrup boots, he had no fear of disturbing her; they did not share the same bedroom.»

 

  [Texto 3374]

Helder Guégués às 06:23 | comentar | favorito
Etiquetas: