Clássicos

O português que não se usa

 

 

      «O português sem gramática que se usa na televisão e nos jornais desceu à “língua de pau”. A “língua de pau” costumava ser um exclusivo do Partido Comunista, agora é a língua quase oficial da política, uma pasta mastigada e remastigada, que não exprime nada e não convence ninguém. [...] Do século XVI para a frente não faltava um único autor dos que mudaram e moldaram o português que hoje se usa ou, mais precisamente, não se usa. Para medir bem a nossa pobreza literária os “clássicos Sá da Costa” foram um instrumento único» («Os clássicos Sá da Costa», Vasco Pulido Valente, Público, 18.10.2013, p. 52).

 

  [Texto 3411]

 

Helder Guégués às 08:16 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: