18
Dez 13

«Linha precaucionária», diz ele

Fala o PM

 

 

      «Sorry, shmorry», diz uma personagem, e pensei logo em como o nosso primeiro-ministro traduziria. É que hoje, acabaram de me dizer, Pedro Passos Coelho falou de uma «linha precaucionária» no fim do programa de ajustamento. Tudo ajustado, como se vê, até a língua. É inglês, precautionary.

 

  [Texto 3687]

Helder Guégués às 21:50 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:

Tradução: «hot-sour soup»

Sabores da China

 

 

      O original fala de uma hot-sour soup chinesa, que o tradutor verteu para «sopa agripicante». Amarga e picante ao mesmo tempo. Muito bem. «Agridoce» já todos conhecíamos, agora só falta termos esta nos dicionários.

 

  [Texto 3686]

Helder Guégués às 18:14 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:

Plural

A nova área crítica

 

 

      «His dozen-plus Emmys, etc.» O tradutor esforçou-se para verter assim: «A sua mais de uma dúzia de troféus Emmy, etc.»

      «Noutros tempos, teria sido feito para cinema; hoje, é na televisão que está. Voltando a Soderbergh, que irá, parece, dedicar-se à televisão, impõe-se a questão: face à relutância de Hollywood em financiar Por Detrás do Candelabro, será que, hoje, Ang Lee conseguiria levar O Segredo de Brokeback Mountain aos Óscares, ou teria de ficar-se pelos Emmys?» («Por detrás do candelabro, a televisão», J. M., «Ípsilon»/Público, 20.09.2013, p. 16).

 

  [Texto 3685]

Helder Guégués às 16:14 | comentar | favorito
Etiquetas:
18
Dez 13

«Qualquer/nenhum»

Ainda no mais simples

 

 

      Voltamos aos cães e ao texto da jornalista Mariana Oliveira. «Artur Sousa explica que o cão fugiu do jardim de uma casa quando a empregada abriu o portão. Dois rottweiler [sic], uma fêmea açaimada e um macho sem qualquer sistema de contenção, fugiram disparados para a rua e o macho atacou a menina» («Rottweiler fere criança de dois anos com gravidade», Mariana Oliveira, Público, 17.12.2013, p. 13). Sem qualquer ou sem nenhum? Escreve Napoleão Mendes de Almeida: «Quando qualquer não vier na oração com a significação de nenhum, o seu emprego será então justo» (Dicionário de Questões Vernáculas. São Paulo: Editora Caminho Suave, 1981, p. 200).

 

  [Texto 3684]

Helder Guégués às 09:47 | comentar | ver comentários (7) | favorito
Etiquetas: