Sobre «guarda-portão»

Bem-vinda

 

 

      «Guarda-portão». Raramente a leio. Mas foi assim que o tradutor verteu janitor, e fez bem. Vou aos meus apontamentos. «O guarda-portão está junto do portão de ferro preto que certa vez tão grande aversão suscitara em Franz, o portão está ainda preso aos gonzos, não incomoda ninguém, há sempre ali uma boa ventilação, à noite é fechado, como acontece a todos os bons portões» (Berlim Alexanderplatz, Alfred Döblin. Tradução de Sara Seruya e Teresa Seruya. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 2010, 3.ª ed., p. 137). E o feminino popular de «guarda-portão», sabeis qual é?

 

  [Texto 3688]

Helder Guégués às 11:13 | comentar | ver comentários (12) | favorito
Etiquetas: