28
Jan 14

Tradução: «examining magistrate»

Mas não é preciso

 

 

      «Dois dias depois do Natal, a embaixada telefonou. Tinham conseguido agendar uma reunião para Paul e Bill com o juiz de instrução Hosain Dadgar» (O Voo das Águias, Ken Follett. Tradução de Isabel Nunes e Helena Sobral. Queluz de Baixo: Editorial Presença, 2013, 3.ª ed., p. 40).

     É assim que, habitualmente, examining magistrate é traduzido. Neste caso, porém, podia ser mais complexo, se atendêssemos também à função no sistema judiciário iraniano no fim da década de 1970, ainda no tempo do xá, época em que decorre a acção. Essa era tarefa para o revisor de Ken Follett.

 

  [Texto 3938]

Helder Guégués às 14:56 | comentar | favorito
Etiquetas:

Tradução: «sniper»

Ataque cerrado

 

 

     «“Se não morrermos dos bombardeamentos ou dos snipers, vamos morrer de fome ou de frio”, disse à BBC Baibars Altalawy, um jornalista a viver no centro de Homs. A cidade, com o mesmo nome da província onde se ergue, no centro do país, foi a mais castigada pelo regime que o ano passado reconquistou grande parte dos bairros que perdera para a oposição armada» («“Se não morrermos das bombas ou dos snipers, vamos morrer de fome ou frio”», Sofia Lorena, Público, 28.01.2014, p. 24).

      A sanha deles vai toda contra o (horrível, decerto) Acordo Ortográfico, mas estas punhaladas na língua portuguesa, repetidas dia após dia, deixam-nas passar. Atirador especial, atirador furtivo, franco-atirador...

 

  [Texto 3937]

Helder Guégués às 09:39 | comentar | ver comentários (59) | favorito
Etiquetas:

Milhares e milhões

Até parecem duas quantias

 

 

      «Ali, em Dallas, o principal responsável pelas finanças da EDS, Tom Walter, natural do Alabama com a sua maneira de falar pausada, trabalhava sobre como proceder, caso fosse necessário pagar uma fiança de 12 milhões 750 mil dólares» (O Voo das Águias, Ken Follett. Tradução de Isabel Nunes e Helena Sobral. Queluz de Baixo: Editorial Presença, 2013, 3.ª ed., p. 99).

      Pelo menos a vírgula não devia faltar, embora não deixasse, por isso, de ser estranha essa forma de escrever uma quantia, com os milhões e os milhares por extenso. Não é mais lógico e imediatamente compreensível 12,750 milhões? No original, lê-se «$12,750,000».

 

  [Texto 3936]

Helder Guégués às 07:26 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Tradução: «US Attorney»

Não é porteiro

 

 

    «O cunhado, Tim Reardon, trabalhava na Procuradoria-Geral dos Estados Unidos e tinha muito bons contactos» (O Voo das Águias, Ken Follett. Tradução de Isabel Nunes e Helena Sobral. Queluz de Baixo: Editorial Presença, 2013, 3.ª ed., p. 79).

   Ora muito bem, trabalha na Procuradoria-Geral dos Estados Unidos. Parabéns. Mas que faz, é o porteiro? Não: «was a US Attorney in the Justice Department». Ah, assim já ficamos a saber. Na tradução brasileira, lê-se que «era procurador federal, trabalhava no Departamento de Justiça».

 

  [Texto 3935]

Helder Guégués às 07:24 | comentar | favorito
Etiquetas:
28
Jan 14

Pepino-o-Breve e outra gente

Cognomes e apodos

 

 

  Pitt, O Velho, e Pitt, o Novo. Daquele, a Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira escreve: «o primeiro Pitt, ou Pitt-o-Velho». E lembro-me sempre de Pepino-o-Breve. Todos sabemos que é assim, mas quando o autor não quer... Quer que seja Pitt, the Younger, e Pitt, the Elder. Do you see what I mean?

 

  [Texto 3934]

Helder Guégués às 07:23 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas: ,