02
Fev 14

Tradução: «home»

O seu país

 

 

      «Era ainda membro do Conselho Médico Nacional do Irão e amigo de Bakhtiar que, quando se tornara primeiro-ministro, lhe telefonara para Paris e o convidara para voltar à terra natal para ser ministro da Saúde» (O Voo das Águias, Ken Follett. Tradução de Isabel Nunes e Helena Sobral. Queluz de Baixo: Editorial Presença, 2013, 3.ª ed., p. 224).

   Decerto: home também significa «terra natal» (patria chica, em castelhano). No caso que nos ocupa, porém, como nos referimos ao país — porque é disso que se trata — em que cada um nasceu e de que é cidadão? Não é «pátria»?

 

[Texto 3969]

Helder Guégués às 23:24 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas:

Léxico: «tenência»

Haja tenência

 

 

      «ERRATUM — Na última carta, saiu “tendência” em vez de “tenência”. O erro (ou correcção) do companheiro tipógrafo — julgo-o neste caso naturalíssimo, imensamente justificável; benéfico, até, porque suscita este esclarecimento. Pois suponho que a palavra “tenência” se não encontra registada em dicionário algum, no significado particular com que eu ali a emprego. Ousei aproveitar este termo raro porque o sinto indispensável ao “portuguesinho valente”, e muitíssimo merecedor de se difundir à larga. É um belo vocábulo popular e expressivo, que significa auto-domínio, inibição, equanimidade, decoro, refreamento voluntário dos impulsos passionais (chamou-lhe “assessego” o sábio rei Dom Duarte, no seu livro “Da ensinança de bem cavalgar em toda sela”). “Haja tenência!”, exclamava uma velhinha que eu conheci outrora, quando os netos discutiam com afogueamento e com bulha» (Cartas do Terceiro Homem, António Sérgio. Lisboa: Editorial Inquérito, 1953, pp. 60-61).

 

[Texto 3968]

Helder Guégués às 21:50 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas:

Tradução: «roadblock»

«Tranqueira», por exemplo

 

 

 «Mandaram-nos parar brevemente num bloqueio de estrada. Prosseguiram e passaram por vários carros em chamas, em volta dos quais se viam muitos civis com metralhadoras» (O Voo das Águias, Ken Follett. Tradução de Isabel Nunes e Helena Sobral. Queluz de Baixo: Editorial Presença, 2013, 3.ª ed., p. 200).

  É, na verdade, surpreendente que optassem por «bloqueio de estrada», já que a primeira correspondência nos dicionários bilingues é o galicismo «barricada». Claro que hoje ninguém se lembra de que é um galicismo, até porque temos outros vocábulos da mesma cognação, e nem todos são galicismos. Parece que barricade era o empilhamento de barris ou barricas. Provavelmente não entrou na nossa língua antes do século XIX.

 

[Texto 3967] 

Helder Guégués às 14:06 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:
02
Fev 14

«Restraining order»

Somos todos americanos

 

 

      No episódio de sexta-feira da série Bem-Vindos a Beirais, «Yo soy Tito Parrancha», uma personagem sugeriu a outra que pedisse uma «ordem de restrição» contra não sei quem. Uma restraining order. O argumentista e a coordenadora dos argumentistas, talvez habituados a lerem revistas cor-de-rosa, em que se fala das estrelas norte-americanas, não estranharam absolutamente nada. E 99 % dos telespectadores não perceberam nada.

 

[Texto 3966]

Helder Guégués às 09:51 | comentar | ver comentários (15) | favorito
Etiquetas: